Rock Brasil Review: Legião Urbana, parte 3

Em 1985, foi lançado o primeiro álbum, Legião Urbana, cuja canção Será? foi um grande hit naquele ano. Em 1986, saiu o segundo álbum, Dois, um álbum com verve mais lírica e Folk do que o primeiro e que colocou a Legião na crista da onda. Em 1987, veio Que País é Este 1978-1987, com algumas músicas que Renato Russo tocava quando era membro do Aborto Elétrico. Em 1988, veio o desastroso e tumultuado show no estádio Mané Garrincha em Brasília, marcando a última vez em que a Legião tocou em sua terra natal. Em 1989, em meio ás gravações de As Quatro Estações, o baixista Renato Rocha brigou com o batera Marcelo Bonfá e deixou a banda, que decidiu prosseguir como trio.

Após o lançamento do álbum, a Legião continuou fazendo turnês e aparições em programas televisivos. Alguns músicos de apoio foram contratados para acompanhar a banda: Fred Nascimento (Violão, guitarra rítmica), Bruno Araújo (baixo) e o produtor musical Mu Carvalho (teclados). Fizeram um memorável show no Jockey Club do Rio de Janeiro no dia 7 de julho de 1990, mesmo dia em que o cantor e compositor Cazuza faleceu. Ao saberem do ocorrido, os legionários ficaram muito tristes e dedicaram a apresentação ao Poeta do Rock Brasil. O show antológico que eles fizeram no estádio do Palestra Itália em Sampa naquele ano, que contou com a presença de 100 mil pessoas, foi registrado e lançado anos depois com o nome As Quatro Estações Ao Vivo.

Em 1991, foi lançado o álbum V (cinco em algarismo romano), com produção de Mayrton Bahia e Legião Urbana, o primeiro da banda que não foi gravado nos estúdios da EMI. Sua asessõe tiveram lugar no Estúdio Mega no Rio. É uma disco mais melancólico que seus predecessores, onde a banda faz uma critica à crise econômica no Brasil no começo da década de 90 e também uma forma de Renato desabafar sobre seus problemas com dependência química. Destacam-se as faixas Teatro dos Vampiros (uma crítica à TV brasileira), a lírica e bela Vento no Litoral [N. do ed.: música que tocou no dia em que meu filho nasceu], Metal Contra as Nuvens (que desbancou Faroeste Caboclo como a músca mais longa da banda), Sereníssima e O Mundo Anda Complicado. Renato considerava o disco o Pornography (álbum do The Cure) da Legião. A turnê do disco foi a mais curta da carreira da banda, devido a problemas de Renato com o alcoolismo. Foi nesse ano que o cantor descobriu que estava com AIDS, embora nunca tivesse assumido essa condição publicamente.

Em 1992, a banda chega ao seu décimo aniversário participando de uma edição do Acústico MTV. O vídeo do programa só foi lançado em 1999 e algumas músicas figuraram na coletânea Música para Acampamentos, lançada naquele ano. Esse disco tem ainda músicas que a Legião tocou em seu shows no Palestra Itália e no Morro da Urca em 1990 e gravações que eles fizeram na Rádio Transamérica em 1988 e 1992. Dentre as faixas está a inédita A Canção do Senhor da Guerra (usada num especial da Rede Globo), uma versão da banda para Gimme Shelter dos Rolling Stones, um pout-pourri com Soldados (Renato, Marcelo),  Blues da Piedade, Faz Parte Do Meu Show  (do falecido Cazuzae Nascente (Flávio Venturini), um trecho de Stand By Me (música de Ben E. King que fez muito sucesso com John Lennon) interligado com Pais e Filhos (do disco As Quatro Estações) e A Montanha Mágica (do álbum V), tendo com temas incidentais You’ve Lost tha Lovin’ Feeling (Righteous Brothers), Jealous Guy (John Lennon) e Ticket to Ride (Beatles), terminando com um trecho de Rhapsody in Blue de George Gershwin.

Em 1993, foi lançado o álbum O Descobrimento do Brasil, outra produção de Mayrton e da Legião com uma atmosfera mais otimista, por conta do tratamento pelo qual Renato estava fazendo contra a dependência química. Destacam-se as faixas Vinte e Nove (Renato), Perfeição (Dado, Renato e Marcelo), Giz (que Renato considera sua obra prima) e a faixa que dá nome ao disco (Marcelo, Renato). Embora tenha tido vendagens excelentes (meio milhão de cópias vendidas) e tenha recebido certificado de platina, muitos críticos malharam veementemente o álbum, o que deixou Renato contrariado. Sendo portador do Mal do Século XX, a partir desse ano, Renato passou a evitar a imprensa para não falar sobre sua condição de soropositivo. Apenas amigos muito íntimos e pessoas da família sabiam pelo que o cantor estava passando.

Em 1994, Renato levou a cabo um projeto individual, algo que fomentava desde os primórdios da Legião. Gravou o álbum The Stonewall Celebration Concert, todo em inglês com composições de outros autores. O nome do disco é uma homenagem do cantor à Rebelião de Stonewall, uma série de  protestos por parte de gays e lésbicas norte americanos que aconteceram em Nova York em 1969, que resultaram em violenta repressão por parte da polícia. É um dos eventos precursores das passeatas do Orgulho Gay ocorridas décadas depois. Parte dos royalties foi revertida em prol da Ação da Cidadania contra a Fome, a Miséria e pela Vida, causa criada pelo sociólogo Betinho. Destacam-se as músicas Cherish (um sucesso da cantora Madonna) e Miss Celie’s Blues (Quincy Jones, Rod Temperton, Lionel Richie), o tema principal do filme A Cor Púrpura (dirigido por Steven Spielberg e estrelado por Whoopi Goldberg).

Conclui no próximo post

Deixe um comentário

Arquivado em Biografias, Música, MPB, Punk Rock, Rock and Roll, Rock Brasil Review

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s