Achados e Perdidos: The Sonics

Apenas um certo número de aficcionados em anos 60 os conhece. Lançaram a tendência garageira e foram  precursores do som Punk que dominou o mundo na segunda metade da década de 70 e até da cena de Seattle nos anos 90. Com vocês: The Sonics!

A história da banda ao início da década de 60 na cidade de Tacoma, Washington, EUA, quando o guitarrista  Larry Paripa se juntou ao baterista Mitch Jaber e o guitarrista Stuart Turner mais um baixista com baixo acústico e um saxofonista numa banda de Rock instrumental. No ano seguinte, o irmão de Larry, Andy substituiu o baixista e Tony Mabin veio a se tornar o novo saxofonista. Turner foi outro a saltar fora para se alistar no exército e em seu lugar entrou Rich Koch. Decidiram acrescentar uma vocalista ao grupo e Marilyn Lodge foi admitida. O ciclo se fechou quando Jaber deixou o grupo e foi substituído pelo batera Bill Dean, sendo Larry Parypa o único remanescente da formação original.

Em 1963, foi a vez de Koch e Lodge sairem. Ray Michelsen, um vocalista muito conhecido na região entrou para a banda e Larry começou a reparar que Bill Dean não estava muito comprometido com a banda e passou a procurar um novo baterista. Num show da banda The Searchers (nada a ver com a banda inglesa homônima), gostou da performance de Bob Bennett, junto com  Gerry Roslie (vocais, órgão) e Rob Lind (sax, vocais, gaita). Quando Michelsen e Mabin mostaram vontade de deixar a banda, Larry não teve dúvida: chamou o batera e seus colegas, completando o time que se tornou a formação clássica dos Sonics. Com Roslie como frontman, começaram a  fazer fama no circuito de bandas de Washington, em lugares como Red Carpet, Olympia’s Skateland, Evergreen Ballroom, Perl’s (Bremerton), Spanish Castle Ballroom e St. Mary’s Parish Hall.

Eles chamaram a atenção  de Buck Ormsby, baixista da banda The Wailers (não confundir com a banda jamaicana liderada por Bob Marley), que atuava como uma espécie de caça-talentos do próprio selo da banda, Etiquette Records, sendo contratados em seguida. No fim de 1964, gravaram seu primeiro single, The Witch/Keep a Knockin’ (esta um cover de Little Richard). Não teve pra ninguém: os Sonics conquistaram a moçada de Washington de vez e o single era um dos mais tocados nas rádios locais.

Em 1965, veio o primeiro álbum da banda Here are The Sonics, que foi gravado em Seattle, Washignton, de uma forma bem precária para a época (um gravador de duas pistas e apenas um microfone para toda  a bateria). Veio daqui a tendência garageira da banda, com um som cru como característica marcante, sem overdubs. Músicas como Psycho, Strychnine, bem como os covers de Roll over Beethoven (Chuck Berry), Do You Love Me? (Contours), Have Love, You Travel (Richard Berry), Money (That’s What I Want) (Barrett Strong, Beatles), Walking the Dog (Rufus Thomas) e Good Golly Miss Molly (outro cover de Little Richard) agradaram em cheio.

No álbum seguinte, Boom eles foram mais longe ainda, rasgando a parede de proteção sonora do estúdio – que tinha orientação Country & Western – para que tudo soasse como se tocassem ao vivo. A porradaria dos Sonics continuava com Shot Down, The Hustler, It’s Alright e os covers explosivos Skinny Minnie (Bill Haley & his Comets), Let the Good Times Roll (Shirley & Lee), Hitchhike (Marvin Gaye), Louie Louie (Richard Berry, Kingsmen), Jenny Jenny (os caras gostam de Little Richard, não?) e Since I Fell for You (Buddy Johnson).  Fizeram turnês junto com os Beach Boys e as Shangri-las.

Em 1966, ao se transferirem para a gravadora Jerden Records, as coisas começaram a desandar para a banda. Seu álbum Introducing The Sonics foi muito mal de vendas. Reza a lenda que os executivos da nova gravadora empurraram os Sonics para um som mais polido que o usual, o que acabou descaracterizando a banda. Os próprios Sonics acharam o resultado do disco “um lixo”. Roslie e Bennett saíram da banda enquanto Lind e os irmãos Parypa tentaram manter os Sonics com outras formações. Em 1968 a banda chegou ao fim,m as começaram a ter fama a posteriori, que fez com que fizessem uma breve reunião da formação clássica em 1972.

Depois de um lapso de quase 12 anos, Gerry Roslie formou um nvo grupo intitulado The Sonics que gravou um álbum chamado Sinderella, com muitas músicas que fizeram a fama da banda nos anos 60. Mais 20 anos se passaram e a banda voltou à ativa em 2007, com Roslie, Larry Parypa e Rob Lind, da formação clássica junto com Ricky Lynn Johnson, ex-TheWailers (bateria) e Don Wilhelm  do The Daily Flash (baixo) no lugar de Bob Bennett e Andy Parypa, respectivamente. Estes dois últimos não voltaram por causa da falta de disponibilidade para viajar com a banda. Em 2008, Bennett finalmente pôde se reunir comos velhos chegados para alguns shows. Em 2009, Wilhelm saiu e foi substituído por Fred Dennis. Em 2010, foi a vez de Andy Parypa dar as caras na banda para participar de um EP produzido por Jack Endino intitulado 8, com quatro músicas inéditas dos Sonics. A história da banda parece longe de terminar.

Fontes:

Wikipedia (em inglês)

All Music

Site Oficial The Sonics

Deixe um comentário

Arquivado em Achados e Perdidos, Biografias, Música, Rock and Roll

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s