E Se… o Dia em Que a Música Morreu não tivesse acontecido?, finale

Depois de falar sobre a trajetória de Buddy Holly nessa realidade onde ele não perdeu a vida num fatídico acidente de avião, falaremos sobre seus parceiros.

Ritchie Valens acha que nasceu de novo após o episódio acontecido em 3 de fevereiro. Terminou a turnê e voltou para sua família, de quem nunca mais perdeu os laços, mesmo estando na estrada. O Fenômeno Chicano, como foi chamado durante anos, teve uma grande carreira, gravou discos, fez turnês e se tronou um pouco mais religioso. Todos os anos, manda rezar missas pela trragédia que não aconteceu. Depois de dias e vinda, finalmente ele e Donna Ludwig decidiram se casar. Já estabelecido como grande nome do Rock, ele aproveitou para curtir a família. Teve quatro filhos com Donna: Ritchie Jr., Dolores, Connie (homenagem á querida mãe) e o caçula Robert (homenagem ao irmão, Bob). A família Valenzuela criou um selo dedicado a artistas latinos que tentavam a vida nos EUA. Jose Feliciano foi um dos protegidos de Ritchie. Os anos 70 corroboraram para que a música latina ficasse em evid~encia e Ritchie gravou um álbum flertando com a tendência disco. No fim da década a tragédia: o filho Ritchie Jr. muito conhecido nos EUA morreu num desastre de avião semelhante ao que o pai coseguira se safar anos antes. Ele nunca aceitou a perda do filho e ficou recluso toda a década de 80, voltando em grande estilo em 1995, graças aos amigos Buddy e Big Bopper. Sua turnê chegará à Ameroica do Sul e ele tocará no Brasil até o fim deste ano.

Já Big Bopper conseguiu um programa de rádio que foi fenômeno de audiência, The Big Boppin’ Time. Nos anos 60, ele e a família viajaram à Europa para curtir a França, a Alemanha e a Inglaterra. J.P. tentou ir incógnito mas acabou sendo descoberto num show dos amigos ingleses do Gerry & the Pacemakers. De volta aos EUA, ele consegiu comprar muitas emissoras de rádio e se tornou um papa radiofônico, com programas de humor e música. De todos, foi o único a vir ao Brasil para tocar no I Rock In Rio, agradando em cheio. Prepara para 2012, seu tão sonhado concerto em família, contando com os filhos Debra e Jay Perry ou Big Bopper Jr.

Isso tudo, infezmente é fictício. Mas os nomes dessas tres grandes figuras jamais serão esquecidos.

Deixe um comentário

Arquivado em Datas Marcantes, E Se..., História do Rock, Música, Rock and Roll

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s