Aniversaria hoje: Roberta Flack, finale

Em 1971, Roberta Flack gravou o álbum Quiet Fire, com destaque para suas versões de Bridge Over Troubled Water (Paul Simon), To Love Somebody (Bee Gees) e Will You Love Me Tomorrow (Goffin-King, original com The Shirelles), além de outras músicas como Go Up Moses (composta por ela junto com Jesse Jackson e Joel Dorn), Sunday and Sister Jones (de Gene McDaniels) e Sweet Bitter Love (de Van McCoy), original por Aretha Franklin.

A consagração da cantora veio em 1972 com o álbum Robert Flack & Donny Hathaway, um dos mais belos duetos de todos os tempos. Hathaway era colega de Roberta na universidade Howard e tinha se tornado um grande artista da Atlantic. Essa união de forças trouxe o clássico Where is The Love e interpretações maravilhosas de You’ve Got a Friend (Carole King), I (Who Have Nothing) (da legendária dupla Leiber & Stoller com Carlo Donida), You’ve Lost The Lovin’ Feelin’ (original com Righteous Brothers) e o standard For All We Know (nada a ver com a canção que foi sucesso com os Carpenters).

O álbum de 1973, Killing Me Softly também foi um sucesso bombástico, com Roberta às voltas com um som ao estilo de Bossa Nova misturada com Soul no clássico Killing Me Softly with His Song, que abocanhou dois Grammies. Outras músicas de destaque: Jesse (da ótima Janis Ian) e River (Gene McDaniels). Dois anos depois, em 1975, veio o álbum Feel Like Makin’ Love com destaque para a faixa título (composição de Gene McDaniels) e I Can See the Sun in Late December (de Stevie Wonder).

O álbum Blue Lights in the Basement,de 1977, conta com um dueto de Roberta com o amigo Donny Hathaway, The Closer I Get to You que se tornou um clássico e fez sucesso no mundo todo, inclusive no Brasil, onde foi tema de novela e de comercial de TV. Destaque também para Why Don’t You Move in with Me (Gene McDaniels) e This Time I’ll be Sweeter (Pat Grant e Gwen Guthrie), que fez muito sucesso com Linda Lewis em 1975. O ano seguinte trouxe o álbum Roberta Flack, com músicas compostas pela cantora. O destaque fica por conta de para If Ever I See You Again (primeiro lugar nas paradas) e What a Woman Really Means.

O ano de 1979 foi muito triste para Roberta Flack, pois seu grande amigo e parceiro Donny Hathaway faleceu e deixou os fãs de sua música [me incluo nesse grupo] órfãos. O mais triste é que eles iriam retomar o dueto no disco Roberta Flack Featuring Donny Hathaway, que acabou sendo lançado em 1980. Donny deu cabo da própria vida e só deixou prontas duas músicas, You are My Heaven (Stevie Wonder e Eric Mercury) e Back Together Again (Reggie Lucas e James Mtume). O restante das músicas Roberta cantou sozinha, com destaque para Don’t Make Me Wait Too Long (Stevie Wonder) e Stay with Me (Gerry Goffin e Michael Masser). No mesmo ano, ela gravou seu primeiro álbum ao vivo, Live & More, onde teve como parceiro o cantor Peabo Bryson. Neste disco, as músicas Love Is a Waiting Game e Make The World Stand Still (ambas compostas pela dupla) chegaram às paradas de R & B.

Em 1981, ela gravou o álbum Bustin’ Loose, trilha sonora do filme homônimo estrelado por Richard Pryor, onde ela divide os vocais com Peabo Bryson e Luther Vandross. O veterano percussionista brasileiro Dom Um Romão (1925-2005) era um dos músicos do disco. Destaque para as músicas You Stopped Loving Me e Qual É Malindrinho (Why Are You so Bad) [nota do ed. – seria uma influência do nosso Dom Um?]. No ano seguinte, gravou o álbum I’m the One, cuja faixa título ficou nas paradas (composição de William Eaton, Ralph MacDonald, William Salter), assim como Making Love (Burt Bacharach e Carole Bayer Sager). Também nesse ano, gravou o segundo [e último] dueto com Peabo Bryson, Born to Love, com destaque para Tonight I Celebrate My Love (Gerry Goffin e Michael Masser). Apesar dessa música chegar às paradas, o disco teve uma recepção morna, com Bryson sendo acusado de querer soar igual a Donny Hathaway, celebre parceiro de Roberta.

Embora não tivesse mais chegado ás paradas de sucesso, Roberta continuou gravando e cantando. Em 1991, seu dueto com o cantor jamaicano Maxi Priest, Set the Night to Music, fez com que voltasse a freqüentar os charts. Os anos 90 e 2000 foram muito bons para ela, que foi várias vezes homenageada e laureada. Em 1999, ganhou uma estrela na Calçada da Fama em Hollywood e fez um grande concerto para o então presidente da África do Sul Nelson Mandela. Em 2010, ela apreceu na entrega do Grammy e fez um dueto com o amigo Maxi, cantando sua célebre Where’s the Love. Neste mês, será lançado seu novo álbum em 8 anos, Let It Be Roberta onde ela canta músicas dos Beatles como Hey Jude e Let It Be. Aqui, Mrs. Flack canta outro clássico dos fab 4 preferido dos SoulmenNão posso esquecer de citar a linda versão para You Make Me Feel Brand New dos Stylistics e o maravilhoso dueto que ela fez com George Benson em You Are the Love of My Life.

Roberta Flack esbanjando talento no Grammy

Fonte: Wikipedia

Deixe um comentário

Arquivado em Aniversariantes, Biografias, Blues, Jazz, Música, Soul e R & B, The Beatles

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s