Mestres do Metal: Black Sabbath – post bônus

Nos últimos sete posts, contamos a empolgante saga do Black Sabbath, uma das mais importantes bandas do Heavy Metal, mas eu não poderia deixar de fora uma pequena biografia de membros da banda que se foram, nos mesmos moldes da seção RIP. Confiram:

Ronnie James Dio, vocalista e compositor, nascido Ronald James Padavona em 10 de julho de 1942 em Portsmouth, New Hampshire, EUA. O seu famoso sobrenome se deve a um mafioso chamado Johnny Dio. Na escola, formou uma banda de Rockabilly chamada Vegas Kings que teve depois vários nomes como Ronnie & The Rumbles, Ronnie & The Red Caps, Ronnie & The Prophets, The Electric Elves, The Elves e finalmente Elf, que chamou a atenção do guitarrista do Deep Purple, Ritchie Blackmore quando de uma turnê norte americana da banda. Anos mais arde, participou da primeira formação do Rainbow de Ritchie Blackmore, saindo em 1979. Depois, foi para o Sabbath, deixando dois álbuns. Em 1983, criou a banda Dio, que se tronou célebre pelo sucesso Holy Diver. Voltou ao Sabbath em 1992, gravou mais um álbum e saiu de novo. Voltou a reencontrar seus parceiros de Sabbath e formou a banda Heaven & Hell em 2006. Em 2009, descobriu que tinha um tumor malígno no estômago e passou a lutar contra a doença. Faleceu no dia 16 de maio de 2010, aos 67 anos, deixando a nação roqueira de luto.

Ray Gillen, vocalista e compositor, nascido no dia 12 de maio de 1959 em Nova York, NY, EUA. Formou suas primeiras bandas na escola e começou a ter evidência ao entrar na banda Rondinelli, do ex-batera do Rainbow, Bobby Rondinelli. Em 1986, recebeu o convite para atuar no musical Cats e para ser o substituto de Glenn Hughes no Black Sabbath. Dois projetos que ele gostaria muito de realizar. Depois de muito pensar, saiu do Rondinelli, deu um bico no convite do musical e acabou fechando com Tony Iommi. Durante aquele ano, Gillen conseguiu destaque na banda, mas a constante troca de membros fez com que ele deixasse a banda. Depois, passou pelo Blue Murder, Phenomena e pelo Badlands, onde teve muito sucesso. Faleceu em 1º de dezembro de 1993, aos 34 anos, em decorrência de complicações com a AIDS, da qual era portador .

Cozy Powell, baterista e compositor, nascido Colin Flooks em 29 de dezembro de 1947 em Cirencenter, Inglaterra. Começou a carreira em 1965, quando tocava na banda The Sorcerers. Também começou um trabalho com Jeff Beck, após este deixar os Yardbirds em 1967. Nos anos 70, formou as bandas Bedlam (cuja música Dance with the Devil fez um enorme sucesso) e o Cozy Powell’s Hammer. Em 1975, ingressou no Rainbow, fazendo Ritchie Blackmore e David Coverdale (ex-colegas no Deep Purple), brigarem feio quando o vocalista do Whitesnake convidou Cozy para integrar sua banda. Nessa altura de sua carreira ele já era um dos mais badalados bateristas do mundo, sempre preferindo ficar pouco tempo nas bandas que participava. Saiu do Rainbow e tocou no já citado Whitesnake, bem como Michael Schenker Group e Emerson, Lake & Powell, onde substituiu o batera Carl Palmer. Depois de recusar o convite para integrar o Black Sabbath em 1982, Cozy acabou entrando na banda em 1989, a qual acabou deixando logo depois por causa de um acidente onde quebrou as pernas. Voltou ao Sabbath em 1995, mas saiu de novo por motivo de doença. Em 1996, fez uma turnê com o Fleetwood Mac. Faleceu no dia 5 de abril de 1998, aos 50 anos, vítima de um terrível acidente automobilístico.

Fonte: Wikipedia

Deixe um comentário

Arquivado em Biografias, Mestres do Metal, Post Bônus, RIP, Rock and Roll, Supergrupos

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s