Grandes Duplas Musicais: The Carpenters, parte 1

Inauguro mais uma seção no nosso Musical Review. Aproveitando como gancho o aniversário da inesquecível cantora Karen Carpenter, vou começar falando sobre o grupo que deu a ela visibilidade, os  Carpenters, uma das mais representativas duplas de irmãos da história da música, graças a baladas românticas que eram sua marca registrada. Tiveram o auge criativo na década de 70, quando o Heavy Metal e o Punk eram tendências musicais dominantes. 

Tudo começou nos anos 60, quando o jovem Richard Linn Carpenter (nascido no dia 15 de outubro de 1946 em New Haven, Connecticut, EUA), revelou-se um prodígio no piano, mostrando aptidão nata para música. Filho de Harold e Agnes Carpenter, ele tinha uma irmã mais nova, Karen Anne Carpenter (nascida em 2 de março de 1950 em New Haven, Connecticut, EUA), que por ter tendência a engordar, tinha interesse em praticar esportes como softball, embora também apreciasse música como Richard. A família deixou New Haven em 1963 e seu mudou para o subúrbio de Downey, localizado em Los Angeles, Califórnia. Richard formou uma banda e participou de alguns concursos musicais. Karen começou a aprender bateria com o amigo Frankie Chávez, depois de ter desistido de todos os instrumentos que tentou aprender.

 No final de 1965, ela já sabia tocar como ninguém e formou com o irmão e o baixista Wes Jacobs, que também tocava tuba, o Richard Carpenter Trio, especializado em Jazz. Quando o grupo participou da Batalha de Bandas do Hollywood Bowl, tocaram o clássico da Bossa Nova, The Girl From Ipanema (Garota de Ipanema) em versão instrumental e uma composição própria chamada Iced Tea. Eles venceram aquele concurso e ganharam um contrato com a RCA Records, onde gravaram Every Little Thing (Beatles) e Strangers in the Night (Frank Sinatra). Esse material acabou não sendo aproveitado e a RCA acabou dispensando o grupo por não acreditar em seu potencial comercial. 

Em 1966, enquanto estavam no estúdio de garagem do baixista de sessão Joe Orborn onde Richard tinha ido para tocar e acompanhar um teste para trumpetista, o músico perguntou a Karen se ela cantava alguma coisa e quando ela abriu a boca, deixou Osborn tão impressionado, que ele acabou comentando: “esqueçam o trumpetista. Essa gorduchinha saber cantar!”. Por causa disso, Karen assinou com o pequeno selo que Joe tinha, Magic Lamp Records e gravou duas composições de Richard, Looking for Love e I’ll Be Yours. Infelizmente, o projeto “subiu no telhado” e o selo acabou. Osborn deixou que continuassem usando seu estúdio e eles elaboraram diversas demos. 

Em 1967, Karen, Richard e Wes juntaram-se ao guitarrista e vocalista John Bettis e outros dois músicos, todos colegas de Richard na Universidade do Estado da Califórnia para formara a banda Spectrum, que costumava tocar com freqüência no legendário Whisky A Go Go. Tentaram encontrar uma gravadora que se interessasse pela banda, mas não conseguiram lograr êxito. No ano seguinte, a banda acabou, pois alguns de seus membros foram batalhar outras oportunidades, como o amigo de longa data Wes Jacobs, que passou a integrar a Orquestra Sinfônica de Detroit. Já Bettis decidiu continuar com os irmãos e formou com Richard Carpenter uma prolífica parceria criativa. No meio do ano, a dupla de irmãos recebeu uma oferta para se apresentarem no programa televisivo Your All American College Show e fizeram sua primeira aparição na TV.

Continua no próximo post

Deixe um comentário

Arquivado em Aniversariantes, Biografias, Grandes Duplas Musicais, Música, Rock and Roll, The Beatles

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s