Monkees Review: O irreverente Micky Dolenz, parte 4

Em 1986, Micky, Davy Jones e Peter Tork  retomaram os Monkees e fizeram uma turnê comemorativa dos 20 anos do seriado. Mike Nesmith não aceitou o convite, a exemplo do que fizera na década de 70. O single do retorno, That was Then This is Now chegou ao Top 20 das paradas de sucesso. No ano seguinte, gravaram o primeiro álbum dos Monkees num hiato de quase 20 anos, Pool It. O revival da banda através de reprises do seriado na MTV foi outro grande recurso e os Monkees voltaram à crista da onda.

No final da  década de 80 e na seguinte, Micky havia voltado  a trabalhar na TV em seriados dos anos 80 e 90 como Mike Hammer, The Ben Stiller Show, Monty, Boy Meets World (onde contracenou com os colegas Monkees Davy e Peter), Pacific Blue e The Drew Carey Show. Apesar da alta nas atividades artísticas, em 1991, o casamento de Micky com Trina Dolenz chegou ao fim depois de 14 anos de união. Ela manteve seu nome de casada para continuar divulgando seus livros de terapia de casais. Foi nesse ano que finalmente Micky lançou um álbum solo chamado Micky Dolenz Puts You to Sleep.

Em 1993, ele escreveu sua autobiografia I’m a Believer: My Life of Monkees, Music and Madness e no ano seguinte, trabalhou no desenho animado The Tick, sobre um super heroi engraçado e canastrão, onde dublou a voz de Arthur, sidekick do protagonista. No ano seguinte, gravou seu segundo álbum solo chamado Broadway Micky, cantando alguns temas de musicais.

Em 1995, Micky fez testes para viver o vilão Charada (The Riddler) no filme Batman Forever (Batman Eternamente) mas perdeu o papel para Jim Carrey. Nesse mesmo ano, fez uma ponta no filme The Brady Bunch Movie (No Brasil, A Família Sil Lá Si Dó), ao lado de Davy e Peter. Foi nesse ano que a mãe de Micky, Janelle Johnson veio a falecer aos 72 anos.

Em 1996, Micky juntou-se a todos os membros dos Monkees (inclusive Mike) na turnê comemorativa dos 30 anos do seriado, na gravação de um novo álbum em quase 30 anos chamado Justus, completada por um especial no ano seguinte chamado Hey Hey It’s The Monkees! Problemas no decorrer da parte britânica da turnê, como a saída intempestiva de Mike, fizeram com que terminassem os compromissos e voltassem aos respectivos projetos solo. No fim dessa década, aconteceram alguns revivals dos Monkees, ora contando com Micky e Davy, ora com Micky e Peter.

Em 2001, foram acertados alguns problemas pessoais entre eles e então, fizeram a turnê de 35 anos dos Monkees por diversas cidades dos EUA. No ano seguinte, Ami Dolenz, sua filha com Samantha Juste, se casou. Em 2004, ele participou do musical Aida de Tim Rice e Elton John, baseada na ópera homônima de Giuseppe Verdi, onde viveu o vilão Zoser. Veja matéria no jornal The Victoria Advocate. Pouca gente ficou sabendo desse trabalho de Micky.

Micky em seu disco em homenagem à Broadway

Conclui no próximo post

1 comentário

Arquivado em Aniversariantes, Biografias, Humor, Música, Monkees Review, Rock and Roll, The Monkees

Uma resposta para “Monkees Review: O irreverente Micky Dolenz, parte 4

  1. Carla Thomas Jones Monkees

    Eu sou muito fã do grupo The Monkees, e olha que só tenho 26 anos.
    Meu monkee favorito: Davy Thomas Jones.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s