Grandes Nomes do Soul: Teddy Pendergrass, finale

Nos anos 80, a careira de Teddy Pendergrass ia de vento em popa, tendo gravado outros álbuns de muita repercussão. Em 1981, veio It’s Time for Love (com destaque para I Can’t Live Without Your Love e You’re My Latest, My Greatest Inspiration). Em 1982, gravou e lançou This One for You (com a faixa título e I Can’t Win For Losing). Nesse ano, sobreveio um grave acidente sobre Teddy, enquanto dirigia seu Rolls Royce em Lincoln Drive, perto da Philadelphia. O freio falhou e o carro bateu num guard rail e derrubou três árvores. Tenika Watson, uma dançarina de night club com quem Teddy andava se encontrando estava no veículo e sofreu ferimentos leves. Já o cantor teve uma lesão na espinha, ficando paralisado da cintura para baixo. Suas fãs mandaram a ele muitos desejos de bom restabelecimento.

Seus trabalhos lançados após o acidente, como o álbum de 1982, citado acima e o subsequente, Heaven Only Knows (1983), os últimos pela Philadelphia Internacional foram fracassos comerciais, apesar desse segundo ter conseguido emplacar um sucesso nas paradas, o single I Want My Baby Back, sensacional parceria dos grandes Bobby Womack e Kenny Gamble. O lado B foi Judge for Yourself. Em 1984, assinou com a Asylum Records, onde estreou com o álbum Love Language, com Hold Me, um lindo dueto entre ele e a então desconhecida Whitney Houston (1961-2012) [vide bio aqui] e You Are My Choice Tonight (Choose Me) de Marcus Miller e Luther Vandross. No ano seguinte, veio o emocionado retorno dele aos palcos, quando participou do concerto do Live Aid que aconteceu na Philadelphia. Nesse histórico show, Teddy cantou o clássico de Ashford & Simpson, Reach Out and Touch. Gravou também seu segundo álbum pela Asylum, Workin’ It Back (título bem sugetivo de seu retorno), com destaque para a faixa título e Love 4/2. Foi o álbum mais fraco de sua carreira.

Em 1988, após três anos sem gravar, ele voltou aos estúdios após assinar com a Elektra Records. Seu álbum, Joy, foi seu reencontro com o topo das paradas, graças à música título e a confessional Love is The Power, dedicada à sua esposa, Karen Still, que ficou a seu lado dando-lhe forças para continuar vivendo apesar da paralisia com a quela viveu após o acidente de 1982. Essa música fez muito sucesso no Brasil.

No decorrer da década de 90, gravou ainda os álbuns Trully Blessed (1991), título que também dá nome à sua autobiografia lançada em 1992,  A Little More Magic (1993) e You and I, seu último disco. Depois disso, ele só se dedicou a shows e aparições em programas. Em 2003, seu casamento com Karen terminou de forma amigável. Em 2006, ele anunciou sua aposentadoria dos palcos , voltando por um breve momento no ano seguinte para participar do evento Teddy 25: A Celebration of Life, Hope & Possibilities, que marcou o 25º aniversário de seu triunfal retorno após o acidente. Em 2009, foi diagnosticado com câncer no cólon, doença contrra a qual lutou bravamente até sucumbir no dia 19 de janeiro de 2010. Ele tinha 59 anoe e deixou quatro filhos: Tisha, LaDonna, Tamon and Teddy II, quatro netos, além da segunda esposa Joan e a mãe Ida Pendergrass.

Teddy Pendergrass em 2009

Fonte:

Wikipedia

Deixe um comentário

Arquivado em Aniversariantes, Biografias, Grandes Nomes do Soul, Música, Soul e R & B

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s