Grandes Nomes do Soul: Ray, Goodman & Brown, parte 1

Eles foram um dos mais importantes grupos vocais de R & B e Soul das décadas de 70 e 80, embora muita gente não conheça seu trabalho ou já tenha ouvido uma outra música mais conhecida. Sua trajetória começou nos anos 60. Vamos falar de Ray, Goodman & Brown.

Tudo teve início em 1965 quando foi formado o grupo vocal The Moments por Eric Olfus Sr., Richard Gross e John Morgan. O trio foi contratado pela iniciante Hog Records para acompanhar os artistas do cast da gravadora , fundada pelos Mizell Brothers, dupla de produtores, juntamente com Freddie Perren (1943-2004), considerado um verdadeiro Rei Midas da música negra e seu amigo Toby Jackson. Gravaram as músicas Baby I Want You e Pray For Me. Mark Greene, o vocalista principal, veio a juntar-se ao grupo um pouco depois do lançamento do single.

Com essa adição ao line up, The Moments assinaram com o selo Stang Records, da companhia fonográfica All Platinum, cujos proprietários eram a cantora Sylvia Robinson (1936-2011) e seu marido Joe Robinson, Sr. Sylvia havia feito um grande sucesso no passado com a dupla Mickey & Sylvia. Seu disco de estréia teve um hit no final de 1968, Not on the Outside, que chegou ao 13º lugar na parada R & B e 57º nos charts Pop. Foram contratados como empresários os astros do rádio Eddie O’Jay, Herb Hamlett e Frankie Crocker, que começaram a vender shows da banda em grandes cidades. Quando Hamlett foi para a emissora WCMF, conseguiu a exclusividade em apresentações radiofônicas do grupo.

Em 1969, gravaram seu primeiro álbum pela Stang, Not on the Inside But on the Inside, Strong e nessa altura, o grupo voltou a ser um trio, contando com Billy Brown (nascido William Anthony Brown no dia 30 de junho de 1946 em Perth Amboy, New Jersey, EUA) como barítono/tenor e Al Goodman (nascido Willie Albert Goodman em 30 de março de 1943 em Jackson, Mississipi, EUA) como baixo, junto com John Morgan, único remanescente da formação original, muito embora Olfus e Gross tenham participado de uma ou outra música do disco. Dentre os singles extraídos do álbum, Love on a Two Way Street, lançada em 1970 (lado B I Won’t Do Anything) se converteu num grande clássico do grupo que chegou a figurar no primeiríssimo lugar nas paradas de R & B. Greene, Olfus e Gross formaram uma dissidência chamada The Leaders, contando com um ex-produtor da All Platinum.

Morgan começou a se ausentar do grupo e foi subsitutído brevemente por Johnny Moore, cunhado da “chefe” Sylvia. Chegou a figurar na capa do segundo álbum dos Moments, On Top. Mas Johnny sempre estava ausente em determinados shows e por isso, acabou demitido. Considerando que The Moments eram os principais artitsas do cast e tinham muitos compromissos, Brown e Goodman atuaram em alguns shows como um duo. Com a chegada de Harry Ray (nascido Harry Milton Ray no dia 15 de dezembro de 1946 em Monmouth County New Jersey, EUA), que se tornou o vocalista principal com sua bela voz de tenorino, o grupo conheceu seus grandes momentos de glória. Embora tenha participado de apenas uma das músicas do álbum A Moment with The Moments, Harry era o homem de frente nos palcos. Brown ficou um tempo afastado por conta de um doença, mas logo voltou. O grupo fez um belo dueto com Sylvia Robinson, Sho Nuff Boogie em 1973. No ano seguinte, gravaram um álbum com outro peso pesado do Soul setentista, The O’Jays (The Moments Meet The O’Jays), cujo retorno comercial foi pífio. Confira aqui uma das faixas

Vieram, no decorrer dos anos, muitos clássicos do grupo que fizeram bonito nos charts como Sunday (13º nos charts R & B),  If I Didn’t Care (nº 7 nos charts R&B, nº 44 na parada pop em 1970), Sexy Mama (nº 3 R&B, n° 17 pop em 1973) e a maravilhosa Look At Me (I’m In Love) (primeiríssimo lugar R&B, nº 39 pop em 1975). Em 1975, fizeram uma tour de force com os colegas de gravadora The Whatanauts. O resultado foi o hit Girls (part 1), que chegou ao 25º lugar nas paradas de R & B e alcançou o terceiro lugar nas paradas britânicas. Esse foi o primeiro sucesso internacional do grupo. Isso empolgou tanto Billy, Ray e Al que eles começarama a compor e produzir para outros grupos e artistas da Stang e da All Platinum.

Em 1979, o trio recebeu uma proposta irrecusável da major Polydor e tencionou deixar a Stang, após uma década de parceria. Isso acabou ocasionando uma disputa judicial por causa do nome do grupo.

The Moments em sua formação original

Conclui no próximo post

Deixe um comentário

Arquivado em Aniversariantes, Biografias, Grandes Nomes do Soul, Grupos vocais, Música, Soul e R & B

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s