Lendas do Rock: Carl Perkins, parte 2

 Carl Perkins tinha estourado com o clássico Blue Suede Shoes em 1956, mas um acidente interrompeu sua trajetória ao topo. Quando se recuperou, a versão de sua música cantada por Elvis era um grande sucesso e partir disso nunca mais conseguiu colocar uma composição no primeiro lugar dos charts. No meio daquele ano, Carl voltou à ativa tocando na turnê Big D Jamboree. Voltou ao estúdio da Sun para gravar músicas novas.

Em sua primeira sessão, vieram à tona uma penca de clássicos perkinianos: Dixie Fried, Put Your Cat Clothes On, Right String, Wrong Yo-Yo, You Can’t Make Love to Somebody, Everybody’s Trying to Be My Baby e That Don’t Move Me. Ainda nesse ano, fez um show histórico chamado Top Stars of ’56, ao lado de Chuck Berry e Frankie Lymon & The Teenagers, onde tocaria só duas músicas. Pouco depois, ainda fez um show com o amigo Gene Vincent e seus Blue Caps mais a cantora Lilian Briggs. No fim do ano, a Sun lançou os singles Boppin’ the Blues/All Mama’s Children (canção que compôs em parceria com o amigo Johnny Cash) e Dixie Fried/I’m Sorry, I’m not Sorry. No começo do ano seguinte, saiu o single Matchbox/Your True Love. Todos os singles foram bem nas paradas mas nada comparado ao arrasa quarteirão Blue Suede Shoes.

Foi nessa época que Carl reencontrou os amigos Elvis (que fzia uma visitinha à Sun), Johnny Cash e Jerry Lee Lewis. Os quatro conversaram e brincaram e fizeram algumas jams juntos tocando algumas baladas coutry e negro spirituals. O esperto Sam Phillips não perdeu tempo e deixou os microfones ligados, captando tudo o que se passava. Mais tarde vendeu a gravação com o nome de The Million Dollar Quartet [ouça aqui uma faixa], talvez o maior encontro entre verdadeiras feras do Rock da Primeira Onda.

Nesse ano, Carl fez sua estreia no cinema ao aparecer no filme Jamboree, onde cantou seu clássico Glad All Over (uma das preferidas dos Beatles quando faziam programas na BBC), que foi lançada em single em 1958, ano que marcou o fim da ótima estada de Carl na Sun e ele assinou com a Columbia Records, onde gravou muitas músicas como Jive After Five, Rockin’ Record Hop, Levi Jacket (And a Long Tail Shirt), Pop, Let Me Have the Car, Pink Pedal Pushers, Any Way the Wind Blows (gravada por Johnny Cash), Hambone, Pointed Toe Shoes, Sister Twister e L-O-V-E-V-I-L-L-E. No ano seguinte, escreveu para o amigo Johnny Cash a música The Ballad of Boot Hill, que acabou sendo lançada pela Columbia como EP.

Naquele início de década, as grandes lendas do Rock estavam em baixa por causa do fim da Primeira Onda e Carl fazia shows em cassinos e em lugares mais interioranos durante 1962 e 1963. Carl fez uma bem sucedida turnê pela Alemanha e em 1964 chegou à Inglaterra, junto com o amigo Chuck Berry. Em seus shows pela Terra da Rainha, a dupla de guitar heroes teve como banda de apoio, The Animals.

Carl ficou sabendo que alguns de seus fãs estavam gravando um disco em Abbey Road em Londres e foi lá para conferir as sessões. Esses fãs eram nada mais nada menos que os Beatles, que naquele momento já estavam na crista da onda. Para pagar tributo ao mestre, tocaram alguns covers dele como Matchbox, Everybody’s Tryin’ to Be My Baby e Honey Don’t. Foi aí que o batera Ringo Starr convidou o mestre para cantar, no que o humilde guitarrista acrescentou: “Cara, vá em frente! Cante você!” o guitarrista George Harrison era outro grande fã declarado de Carl. Tanto que na fase Hamburgo ele usava o nome Carl Harrison em alguns shows.

Jerry, Carl, Johnny e Elvis: encontro de titãs do Rock

Continua no próximo post.

Deixe um comentário

Arquivado em Aniversariantes, Biografias, Lendas do Rock, Música, Rock and Roll, Supergrupos, The Beatles

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s