Lendas do Rock: Roy Orbison, finale

A carreira de Roy começou a declinar e seus três álbuns lançados em 1967, Roy Orbison Sings Don Gibson, The Fastest Guitar Alive (trilha sonora do filme) e Cry Softly Only One foram muito mal em vendas e nem entraram nas paradas. Este último tinha como destaque músicas como She, Communication Breakdown e It Takes One. No ano seguinte, uma nova tragédia se abateu sobre Roy. Seus dois filhos mais velhos com Claudette, Roy Dwayne e Anthony King morreram num incêndio, enquanto cantor fazia uma turnê pela Inglaterra. O caçula Wesley se salvou e Roy o deixou com seus parentes. A dor dele começou a ser aplacada quando conheceu a adolescente de origem alemã, Barbara Jakobs, que veio a se tornar a nova sra. Orbison em 1969, ano em que gravou o álbum Roy Orbison’ Many Moods, com destaque para Truly Truly True, Yesterday’s Child, Try to Remember (de autoria de Tom Jones) e sua versão para o clássico Unchained Memory.

Em 1970, lançou um álbum dedicado a canções de Hank Williams (Hank Williams The Roy Orbison Way), a exemplo do que tinha feito três anos antes com o repertório de Don Gibson. Ali, destacam-se as músicas Jambalaya, Your Cheatin’ Heart, You Win Again e I’m So Lonesome I Could Cry, grandes clássicos do Rei do Country. Gravou e lançou também o álbum The Big O pela London Records, feito na Inglaterra. O disco é recheado de covers como Break My Mind (John P. Laudermilk), Help Me Rhonda (Beach Boys), Only You (The Platters), Money (That’ What I Want) (Beatles e Barrett Strong) e The Land of a Thousand Dances (Chris Kenner), além de Penny Arcade (Sammy King), que ficou em 27º lugar nos charts e uma composição própria, Down the Line. Nesse ano nasceu seu primeiro filho com Barbara, Roy Kelton Orbison.

Os anos 70 foram de extrema obscuridade em sua carreira e a única alegria foi o nascimento de seu filho caçula Alexander Orbison em 1975. Passou por sérios problemas financeiros e de saúde. Sofreu uma arriscada cirurgia no coração em 1979 e quase morreu por conta de uma úlcera duodenal, um problema que o afligiu na adolescência. Em 1980, Barbara se tornou sua empresária e podutora executiva e foi à luta. Nesse ano, ele recebeu um Grammy pelo dueto com Emmylou Harris em That Lovin’ You Fellin’ Again do filme Roadie. Fez uma turnê pela Bulgária e ficou surpreso com a acolhida de seus fãs naquele país. Lentamente, Big O começou a ser descoberto pela geração oitentista. Em 1985, reuniu-se aos velhos amigos Jerry Lee Lewis, Carl Perkins e Johnny Cash no álbum Class of ’55. No ano seguinte, seu clássico In Dreams fez parte da trilha sonora do filme Blue Velvet.

O ano de 1987 marcou o reencontro de Roy com o sucesso. Assinou contrato com a gravadora Virgin Records, onde regravou praticamente todo seu acervo de composições, onde boa parte resultou no álbum In Dreams, um sucesso arrebatador. Nesse ano, foi introduzido no Rock and Roll Hall of Fame e na cerimônia tocou Oh Pretty Woman com seu pupilo Bruce Springsteen. Em 1988, Fez um dueto com a cantora k.d. lang (é escrito assim mesmo minúsculo) interpretando seu clássico Crying, que foi um grande sucesso.

Fez o especial de TV Roy Orbison and Friends, A Black and White Night, onde contou com Bruce Springsteen, Tom Waits, Elvis Costello, Jackson Browne, J.D. Souther, Steven Soles, k.d. lang, Jennifer Warnes e Bonnie Raitt. Juntou-se a seus pupilos e amigos George Harrison, Bob Dylan, Tom Petty e Jeff Lynne no supergrupo The Travelling Wilburys, onde atendia pelo nome de Lefty Wilbury. No disco gravado pela banda, Roy fez duetos inesquecíveis como Handle With Care, Not Alone Anymore e End of the Line. Além disso, entrou em estúdio para prepara um novo álbum. Muita gente acreditava que este era o retorno triunfal de Big O ao estrelato. Infelizmente, o nosso querido herói não teve tempo de colher os louros do sucesso.

No dia 6 de dezembro de 1988, teve uma parada cardíaca fatal em Nashville, falecendo aos 52 anos, deixando toda uma legião de fãs de sua maravilhosa voz órfãos de seu talento. O álbum que ele gravou com tanto esmero foi lançado postumamente em 1989 com o nome de Mystery Girl e ironicamente foi seu maior sucesso de todos. É recheado de músicas cantadas com sentimento como You Got It, She’s a Mistery to Me (escrita por Bono e The Edge do U2), The Only One, entre muitas outras. O álbum dos Travelling Wilburys também teve muito êxito, assim com o o álbum King of Hearts (1992), com material que ficou de fora de Mystery Girl. Sua querida companheira de vida Barbara Orbison se foi deste mundo no dia 6 de dezembro de 2011, exatos 23 anos após a morte de Roy.

Lefty Wilbury e seus irmãos

Fontes:

Wikipedia

http://www.royorbison.com/us/biography

 

Deixe um comentário

Arquivado em Aniversariantes, Biografias, Lendas do Rock, Música, Rock and Roll, Supergrupos, The Beatles

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s