Achados e Perdidos: The Band, finale

 Em 1975, depois da antológica turnê com Bob Dylan no ano anterior, a banda resolveu se mudar para a Califórnia na Costa Oeste, onde dispunham de um estúdio próprio batizado de Shangri-la. Foi nesse local que eles gravaram seu primeiro álbum de estúdio em quatro anos, Northern Lights – Southern Cross. Todas as composições foram assinadas por Robbie Robertson, com destaque para Ophelia, Acadian Driftwood e It Makes No Difference. Embora tivesse sido péssimo em vendas, o disco foi aclamado pelo público e pela crítica, sendo considerado pela própria banda seu melhor trabalho desde o segundo álbum, The Band. Também nesse ano, saiu o álbum The Basement Tapes, mostrando muito do material que eles compuseram e gravaram com Bob Dylan em sua estada em Woodstock, que até aquele ano, só era conhecido através de boolegs.

Em 1976, Robertson esta cansado de excursionar e cancelou diversas datas agendadas, especialmente depois que Richard Manuel, pianista da banda, sofreu um acidente de barco, ficando com o pescoço lesionado. Robbie conseguiu convencer seus colegas a aposentar de vez as turnês e eles começaram a se preparara para um grande concerto de despedida no Dia de Ação de Graças, onde cotariam com muitos amigos, como os chefes antigos Bob Dylan e Ronnie Hawkins e uma constelação de astros da música: Ringo Starr, Van Morrison, Muddy Waters, Pinetop Perkins, Dr. John, Stephen Stills, Staple Singers, Joni Mitchell, Emmylou Harris, Bobby Charles, Ronnie Wood, Eric Clapton, Paul Butterfield e Neil Diamond. O cineasta Martin Scorsese, grande amigo de Robertson foi convidado para filmar o evento. O resultado foi registrado no antológico filme-documentário The Last Waltz, considerado um dos melhores do gênero musical em todos os tempos.

Em 1977, saiu Islands, o derradeiro álbum de estúdio da The Band para a Capitol Records. Nesse álbum, aproveitaram muitas músicas que haviam sido gravadas anteriormente mas não lançadas oficialmente. Destaque para a faixa-título, Right as Rain, Street Walker, Christmas Must be Before e o belo cover de Georgia On My Mind de Hoagy Carmichael, imortalizada por Ray Charles. Eles ainda fizeram aparição em álbuns e shows de amigos como Emmylou Harris e Staple Singers, que foram incluídos no filme The Last Waltz. No ano seguinte, o documentário foi lançado, acompanhado de um álbum triplo, com o famoso concerto de despedida. Depois, foi cada um pro seu lado.

Em 1983, após um lapso de seis anos, The Band voltou à atividade, mas não contou com seu líder Robbie Robertson. Para seu lugar foram chamados diversos ex-colegas dos tempos de Ronnie Hawkins & The Hawks, sendo que o mais regular foi o guitarrista Earl Cate. Seu irmão, Earnie Cate (teclados) também foi chamado como músico adicional. Nesse revival, eles chamaram alguns músicos de apoio e fizeram diversas turnês. Dois anos depois, saiu Earl Cate para a entrada de Jim Weider (nascido em 1951 em Woodstock, NY), que costumava atuar como músico de apoio da banda nos anos 70. Com essa nova formação, gravaram algumas músicas, mas não foi lanaçado nenhum disco.

Em 1986, veio a tragédia: o velho amigo e membro fundador da banda Richard Manuel se suicidou no dia 4 de março daquele ano, após passar por inúmeros problemas com drogas, alcoolismo e doenças. Depois de muitos anos atuando como quarteto, em 1989, Levon e a banda decidiram chamar para lugar de Ritchie o velho conhecido Stan Szelest (nascido no dia 11 de fevereiro de 1943 em Buffalo, NY), que havia tocado no Ronnie Hawkins & The Hawks. Se converteram num sexteto, com a entrada do baixista e baterista Randy Ciarlante. Após dois anos, Stan também veio a falecer, sendo substituído por Richard Bell (nascido no dia 5 de março de 1946 em Toronto, Canadá). O grande pianista Billy Preston foi recrutado como músico de apoio.

Em 1993, exatos 16 anos depois do último disco gravado por The Band, saiu o álbum Jericho, aproveitando diversas gravações feitas de 1985 a 1991, inclusive contando com colaborações dos companheiros falecidos, Richard Manuel e Stan Szelest. Destaque para Blind Willie McTell, Atlantic City (de Bruce Springsteen) e Country Boy. No ano seguinte, tocaram no Woodstock’94, tentativa de reedição do lendário evento dos anos 60. Em 1995, The Band foi introduzida no Rock and Roll Hall of Fame e eles tocaram com o velho colega Robbie Robertson, pela primeira vez desde 1977. Nesse ano, saiu Live at Watkins Glen, o lendário show que a The Band fez naquele festival. Um ano depois, foi lançado o álbum High on the Hog, aproveitando muitas músicas gravadas desde a volta da banda, com destaque para Back to Memphis (Johnnie Johnson), Forever Young (Bob Dylan) e Crazy Mama (J.J. Cale). Em 1998, saiu o último álbum da banda, Jubilation, onde contaram com convidados epeciais como Eric Clapton e John Hiatt. Destacam-se músicas como Book Faded Brown, Last Train to Memphis e Don’ Wait. Nova tragédia: a morte de Rick Danko, baixista emembro fundador, no dia 10 de dezembro de 1999, decretou o fim da The Band. Em 2008, eles receberam um Grammy pelo conjunto da obra e foi até anunciado um revival contando com Robbie, Levon e Garth Hudson, os últimos remanescentes da formação original.

Richard Bell faleceu de mieloma mútltiplo em junho de 2007 e o primeiríssimo membro da banda, o querido e conciliador Levon Helm perdeu a batalha para o câncer e faleceu no dia 19 de abril de 2012, levando de vez qualquer expectativa de reunião dessa fantástica banda. A última valsa foi dançada, enfim.

 Fontes:

Wikipedia (em inglês)

http://www.thebandmusic.net/

Deixe um comentário

Arquivado em Aniversariantes, Biografias, RIP, Rock and Roll

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s