Grandes Nomes do RocK: The Mamas & The Papas, parte 2

John Phillips e Denny Doherty tinham suas bandas e acabaram se conhecendo e descobrindo coisas em comum. Acabaram por trabalhar juntos na banda The New Journeymen em 1965, que contava com a jovem esposa de John, Michelle Phillips como vocalista. Denny sugeriu que Cass Elliot, sua ex-colega de Mugwumps fosse aceita na banda como segunda vocalista. Após uma hesitação inicial de Phillips, ela foi aceita. Mudaram o nome da banda para The Mamas & The Papas após verem uma entrevista na TV que falava que os Hell’s Angels tratavam suas companheiras como “Mamas” (mamãezinhas). Com o novo nome, conseguiram contrato com uma gravadora e lançaram seus dois primeiros singles.

Em 1966, fizeram seu début com o álbum  If You Can Believe Your Eyes and ears, com a produção de Lou Adler, que continha California Dreamin’, uma composição de John e Michelle que se tornou um hino e Go Where You Wanna Go (ambas foram lançadas como singles no ano anterior), além de Monday, Monday (Phillips), outro clássico da banda que se tornou outro hino da contracultura,  Got a Feelin’ (Phillips, Doherty) e belíssimos covers como I Call Your Name (Beatles), Spanish Harlem (Ben E. King), Do You Wanna Dance (Bobby Freeman), que fez um grande sucesso com Johnny Rivers e The “In” Crowd (Dobie Gray).

No disco, eles contaram com o apoio dos músicos de estúdio P.F. Sloan (guitarra), famoso por compor com Steve Barri o clássico Secret Agent Man (sucesso de Johnny Rivers), Larry Knechtel (baixo, teclados), Joe Osborn (baixo), Hal Blaine (bateria) e Peter Pilafian (violino elétrico), além do veterano flautista/saxofonista Bud Shank (1926-2009), que imortalizou o solo de flauta de California Dreamin’. O álbum ficou em primeiro lugar nas paradas e o single Monday Monday/Got a Feeling também conseguiu o mesmo feito, fianco em terceiro no Reino Unido. O disco abriu um caminho sem precedentes para a fama e a banda consegiu arrebanhat muitos fãs, dando visibilidade à emergente Cena de San Francisco.

No mesmo ano, com pique para a gravação do segundo disco, veio a notícia bombástica: Michelle e Denny estavam tendo um caso e, após consulta a alguns advogados à época, a cantora foi demitida em meio às sessões. Para suprir sua ausência, foi chamada Jill Gibson, então namorada do produtor Lous Adler, com experiência como cantora e compositora em trabalhos de Jan & Dean. Até hoje é difícil saber exatamente quais foram as músicas cantadas por uma ou outra, já que Michelle tinha deixado finalizadas meia dúzia de músicas. Há quem diga que Jill tenha gravado umas seis músicas.

Michelle foi chamada de volta ao grupo no final de agosto, em tempo de finalizar as gravações. Jill Gibson foi mantida nos créditos do álbum, The Mamas & The Papas, que tinha os clássicos Words of Love (Phillips) e I Saw Her Again (Phillips, Doherty), além do acachapante cover Dancing in the Streets (Martha & The Vandellas) e uma pérola de Rodgers & Hart, My Heart Stood Still. Além dos músicos do álbum anterior (menos Bud Shank), participaram das sessões os guitarristas “Doctor” Eric Hord e Tommy Tedesco, além do tecladista do The Doors, Ray Manzarek (que tocou órgão e mandou ver na faixa o Salt on Her Tail). Apesar de todos os problemas enfrentados para a conclisão do álbum, ele ficou em quarto nas paradas dos EUA, os singles extraídos também tiveram ótima repercussão e o casal Phillips acabou se reconciliando.

Em 1967, foi lançado o álbum The Mamas and The Papas Deliver, outra parceria com o produtor Lou Adler. Neste álbum estão os clássicos materpaternos (acabei de inventar essa expressão) Creeque Alley (John e Michelle Phillips), que conta a história da reunião do grupo e Look Thru My Window (Phillips), além da interpretação deles para os covers Dedicated to the One I Love (The Shirelles), que muitos consideram sua versão definitiva; Twist and Shout (Isley Brothers, Beatles) numa versão mais calminha, My Girl (eterno clássico de The Temptations) e Sing For Your Supper (Rodgers & Hart). Nesse ano, John Phillips atacou de promotor e foi um dos responsáveis pelo lendário Festival Monterey Pop, juntamente com figurões como Paul McCartney (Beatles), que foi produtor, Lou Adler e outros. No festival, The Mamas & The Papas fizeram um show mais fechado intimista, por força do contrato. Ali brilharam os nomes de Jimi Hendrix, Big Brother & The Holding Company apresentando Janis Joplin, The Who, o soulman Otis Redding e o citarista Ravi Shankar, entre outros.

Capa do primeiro álbum

Continua no próximo post

Deixe um comentário

Arquivado em Aniversariantes, Biografias, Blues, Grandes Nomes do Rock, Grupos vocais, Música, Rock and Roll

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s