Rock Setentista: Pink Floyd, parte 3

Depois do disco de estreia do Floyd, The Piper at the Gates of Dawn, seu líder e mentor Syd Barrett começou a passar por problemas de saúde mental, acentuado pelo uso de drogas e principalmente de LSD. Isso começou a prejudicar a banda, pois ou Syd não comparecia em shows ou ficava estático, tocando uma única nota ao léu. Em 1968, pensaram em contratar um segundo guitarrista, para que Berret pudesse centrar mais atenções aos vocais e às composições. Foi aí que entrou em cena David Gilmour, amigo de Roger Waters e Syd Barrett. Só que a imprevisibilidade do comportamento do guitarrista fez a banda votar por seu afastamento, mesmo estando ás voltas com o lançamento de seu segundo disco, A Saucerful of Secrets. Em 1969, a banda tocou na trilha sonora do filme More.

Em seguida, veio o álbum duplo Ummagumma, produzido por Norman Smith, onde a banda deixou a psicodelia que os caracterizava na chamada Era Barrett. Waters, Wright, Gilmour e Mason começaram a usar experimentalismos para suprir a genialidade excêntrica de seu ex-colega Syd Barrett a fim de provar que o Pink Floyd poderia sibreviver sem seu mentor. O nome do álbum é uma gíria de Cambridge para transa e consiste de um um show feito pela banda no Mothers Club de Birmingham (disco 1) e composições individuais dos quatro componentes do Floyd (disco 2). No show, eles tocam coisas como Astronomy Domine (Barrett) e Careful with That Axe, Eugene (Waters, Gilmour, Wright, Mason) e no disco gravado em estúdio, destacam-se Sysyphus (Wright), uma peça em quatro partes; Grantchester Meadows (Waters), uma bela balada pastoral; Narrow Way (Gilmour), uma peça em três partes e Grand Viziers Garden’s Party (Mason), peça em 3 partes que conta com a participação especial de Lindy Mason, noiva do batera Nick tocando flauta. O disco chegou ao quinto lugar nas paradas britânicas e conseguiu o feito de entrar no Top 100 norte americano (74º lugar), além de receber ótimas citações da crítica.

Em 1970, saiu o álbum Atom Heart Mother, o primeiro com o som que caracterizou o Pink Floyd nos anos seguintes. Todos o conhecem como o “Disco da Vaca”, pois nele figura Lullubelle III, a bovina mais famosa da história do Rock. Nesse trabalho, o Floyd divide a produção com Norman Smith e Alan Parsons faz sua estreia como engenheiro de som num disco do Pink Floyd. A faixa título é uma suite composta pelos quatro membros da banda junto com Ron Geesin e executada junto com a Abbey Road Session Pops Orchestra; também se destacam a bela e progressiva Summer’68 (Wright) [que foi usada como abertura do Jornal Nacional em seus primórdios], que conta com Richard nos vocais pricipais e Fat Old Sun (Gilmour), onde David canta e toca as guitarras, baixo e bateria. O resultado foi o primeiríssimo lugar nas paradas britânicas e um 55º posto nos EUA. A banda teve sua primeira turnê completa em terras norte americanas.

Em 1971, foi lançada a coletãnea de singles Relics e a banda participou da trilha sonora do filme Zabriskie Point de Michelangelo Antonioni. O diretor italiano vetou várias colaborações da banda no disco e no final, só as músicas Heart Beat Pig Meat, Crumbling Land e Come In 51#, Your Time is Up (todas assinadas por Waters, Gilmour, Wright e Mason) saíram no álbum, junto com músicas do Grateful Dead e The Youngbloods, entre outros.

Em outubro desse ano, saiu o disco Meddles, que consolidou o estilo adotado pelo Pink Floyd a partir do álbum anterior. Todas as músicas foram escritas pelo quarteto Waters, Gilmour, Wright & Mason e a produção feita pela banda. Destaque para o clássico floydiano One of These Days, onde o batera Nick contribui com o grito que evoca a faixa; Fearless, onde a banda aproveita o coro da torcida do Liverpool FC cantando seu hino You’ll Never Walk Alone (Rodgers, Hammerstein), a singela Seamus, que conta com os latidos do cão de mesmo nome, mascote do guitarrista Steve Marriott e Echoes, outro clássico floydiano com uns 24 minutos de duração. O disco foi outro grande sucesso do Floyd. Nesse ano, eles fizeram um concerto e sem platéia m Pompéia, cidade italiana que foi arrasada pela erupção do vulcão Vesúvio, que no ano seguinte foi lançado como filme e foi intitulado Live at Pompeii.

Em 1972, a banda colaborou na trilha sonora do filme La Vallée, também dirigido por Barbet Schroeder (que dirigiu More), que acabou gerando o álbum Obscured by the Clouds. Destacam-se a faixa título (Gilmour, Waters), Childhood’s End (Gilmour) e Absolutely Curtains (Waters, Gilmour, Wright, Mason). Naquele mesmo ano, a banda começou a gravar o que muitos consideram sua obra prima, o álbum Dark Side of the Moon.

Pink Floyd em Pompéia

Continua no próximo post.

Deixe um comentário

Arquivado em Aniversariantes, Biografias, Lendas do Rock, Rock and Roll, Rock Setentista

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s