Grandes Nomes do Rock: Blood, Sweat & Tears, parte 3

A entrada de David Clayton-Thomas e a gravação do segundo álbum, autointitulado deram um alento inesperado ao Blood, Sweat & Tears pela excelente repercussão em vendas e nas paradas de sucesso tanto norte americanas como britânicas. Só que a saída de Al Kooper deixou a banda sem um representante na cena da contracultura. Além disso, sua associação com o Departamento de Estado dos EUA, que financiou uma tunnê do BS&T ao Leste Europeu, fez com que fossem malvistos pela comunidade artistica do país, uma vez que toda a classe dos artitas era contra o governo por conta de seu envolvimento na Guerra do Vietnã. Em 1970, veio o álbum Blood, Sweat & Tears 3, que teve também ótima acolhida mas foi massacrado pela crítica.

Nesse ano, a banda começou a tocar no Caesar Palace em Las vegas e sob a direção de seu saxofonista Dick Halligan gravou músicas para a trilha sonora do filme The Owl and the Pussycat, estrelado por George Segal e Barbra Streisend. Houve uma mudança no linne up da banda. Saiu o trombonista Jerry Hyman e entrou em seu lugar Dave Bargeron (nascido David W. Bargeron no dia 6 de setembro de 1942 em Nova York, NY, EUA). A banda também fechou com o saxofonista e compositor de Jazz Don Heckman como seu produtor.

Em 1971, saiu Blood, Sweat & Tears 3, com mais músicas próprias que o anterior. Heckman se juntou a Bobby Colomby e Roy Halee na produção do disco. Os destaques ficam por conta de Go Down Gamblin (Clayton-Thomas), John The Baptist (Holy John) (Al Kooper, Phyllis Major), Lisa Listen to Me (Clayton-Thomas, Halligan), For My Lady (Steve Katz) e o único cover do disco Take Me In Your Arms (Rock Me a Little While) da sensacional trinca de compsositores da Motown Brian Holland, Lamont Dozier & Eddie Holland Jr. O disco foi bem de evndas e ficou no Top 10 da Billboard. Infelizmente, os singles não atingiram as primeiras colocações como os anteriores. Começaram a acontecer alguns problemas internos, criando alas distintas a favor do Pop e outra partidária do Jazz. David Clayton-Thomas se recusou em tomar partido de um dos dois grupos e saiu do BS&T, fazendo um antológico show de despedida em dezembro de 1971.

Em 1972, a banda foi à caça de um substituto para seu vocalista. Fecharam com o cantor de Jazz Bobby Doyle (1939-2006) que, ao que parece não ter conseguido se efetivar porque sua voz não era audível ante o naipe de metais. Foi chamado, então, às pressas o cantor Jerry Fischer (nascido Jerry Donal Fischer no dia 1° de março de 1942 em DeKalb, Texas, EUA) que terminou as gravações e se tornou o novo frontman do BS&T. Também deixaram a banda o saxofonista Fred Lipsius e o tecladista Dick Hannigan, membros fundadores. A lenda do Jazz Joe Henderson (1937-2001) substituiu Lipsius durante um tempo até o fabuloso “Blue Lou” Marini (nascido Lou Marini, Jr. no dia 13 de maio de 1945 em Navarre, Ohio, EUA) assumir como titular do sax. Larry Willis (nascido Lawrence Elliott Willis no dia 20 de dezembro de 1942 em Nova York, NY, EUA) veio para o lugar de Hannigan e a banda chamou mais um guitarrista, o sueco Georg Wadenius (nascido no dia 4 de maio de 1945 em Estocolmo, Suécia). Foi lançada a primeira coletânea do BS&T, Greatest Hits.

Em outubro de 1972, saiu o álbum New Blood, nome que justifica a mudança no line up da banda. Bobby Colomby produziu sozinho e Bobby Doyle, que não conseguiu se tornar o vocalista, tocou piano em algumas faixas. Destacam-se as músicas Down un the Flood (Bob Dylan), I Can’t Move No Mountains (Michael Gately, Robert John), Snow Queen (Goffin, King) e Maiden Voyage (Herbie Hancock). Foi o primeiro álbum a ficar longe dos primeiros ligares das paradas, tendo chegado ao Top 40.

Em 1973, em meio às sessões do novo álbum, No Sweat, o BS&T tem mais uma baixa, Steve Katz, que saiu porque já não se sentia confortável com a direção Jazz-fusion. Isso, aliado ao fato de ele ter ficado insatisfeito com os resultados de New Blood, foi o que pesou em sua decisão. Outro que saiu foi o trompetista Chuck Winfield, sendo substituído por Tom “Bones” Malone (nascido no dia 16 de julho de 1947 em Hattiesburg, Mississipi), amigo de Blue Lou. O disco contou com a produção de Steve Tyrrell. Contaram com os músicos adicionais Paul Buckmaster (sintetizador, arranjos), David Henstchel (sintetizador), Jimmy Maelen e Frank Ricotti (percussão), Joshie Armstead,

Valerie Simpson (do fenomenal duo Ashford & Simpson) e Maretha Stewart (vocalistas de apoio). Destacam-se as músicas: Save Our Ship (Georg Wadenius, Cynthia Weil), Rosemary (Randy Newman), Back Up Against the Wall (Buddy Buie, James Cobb, ambos compositores da banda Classics IV) e Empty pages (Stevie Winwood, Jim Capaldi).

New Blood: começa a Era Jerry Fischer

Conitnua no próximo post

Deixe um comentário

Arquivado em Biografias, Grandes Nomes do Rock, Jazz, Música, Rock and Roll

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s