Rock Setentista: Chicago, parte 4

A partir do álbum de 1975, Chicago VIII, o percussionista brasileiro Laudir de Oliveira, que colaborou nos dois últimos discos como músico de sessão, foi promovido a membro titular da banda. No mesmo ano, saiu a primeira coletânea da banda, Chicago IX ou Chicado Greatest Hits, bem como uma bem sucedida turnê no México. Em 1976, veio o Chicago X, onde a banda passou a priorizar baladas românticas, o que se tonou sua marca registrada. Em 1977, lançaram o Chicago XI mantendo o romantismo das canções em alta. Em 1978, acoteceram dois fatos que abalaram as as estruturas da banda, a morte de Terry Kath e a demissão de James Guercio.

A tragédia atingiu o Chicago num momento em que eles estavam num auge artístico e criativo. Terry Kath tinha muitos problemas com bebedeiras e dependência química. No dia 23 de janeiro de 1978, Kath estava numa festa na casa de Don Johnson, roadie da banda e tinha bebido todas. Quando terminou a festança, ele pegou um revólver calibre 38 descarregado e apontou pra cabeça, puxando o gatilho várias vezes. Johnson dizi para o guitarrista ter cuidado. Então ele pegou uma pistola semi-automática e apoiou-se numa cadeira. Disse ao colega para não se reocupar, que a arma estava descarregada também e apartou o gatilho. Havia uma bala no tambor e Kath morreu na hora.

Enquanto decidiam o que fazer após essa perda trágica, os músicos acabaram descobrindo uns cambalachos de Guercio e que, inclusive, ele estaria desviando dinheiro da banda. O empresário e produtor foi mandado embora. O Chicago começou então a fazer testes com candidatos á vaga de guitarrista. Depois de ouvirem uns 30 guitarristas, fecharam com Donnie Dacus (nascido no dia 12 de outubro de 1951 em Galena Park, Texas, EUA), que já havia trabalhado com Crosby, Stills & Nash e com Roger McGuinn (Byrds). Outra decisão tomada foi abolir os numerais romanos nos discos da banda.

Naquele ano, o Chicago gravou e lançou o primeiro ábum dessa nova fase, Hot Streets. A banda produziu o disco com a parceria do conceituado Phil Ramone e manteve a atmosfera pop romântica que se tornara característica no Chicago. Chamaram os músicos de apoio Blue Weaver (sinterizador) e David “Hawk” Wolinski, que havia tocado no álbum anterior ( Fender Rhodes), além dos convidados mais que especiais Bee Gees que fizeram o coro de Little Miss Lovin’ (Cetera). Além dessa, destacam-se as faixas: Alive Again (Pankow), Show Me he Way (Seraphine, Wolinski), Gone Long Gone e No Tell Lover (Cetera, Loughnane, Seraphine). Infelizmente, o disco passou longe do primeiro lugar, mas ficou dentro do Top 20. Entre os singles, Alive Again alcançou o 15° lugar e No Tell Lover ficou dentro do Top 5.

Em 1979, saiu o álbum Chicago 13 (com numeral arábico) também produzido pela banda com Phil Ramone. A novidade foi a primeira composição do nosso Laudir de Oliveira num disco do Chicago, Life Is What It Is (coautoria de Marcos Valle) e também a primeira e única composição do novo guitarrista Donnie Dacus para a banda, Must Have Been Crazy. Os outros destaques são: Street Player (Seraphine, Wolinski), Paradise Alley (Lamm) e Run Away (Pankow). Dentre os musicos de apoio, outro brasileiro faz par com Laudir, o conceituado percussionista Airto Moreira (que fez parte da banda Return to Forever), o tecladista Wolinski fazendo seu terceiro trabalho seguido com o Chicago (sintetizador), além do lendário trompetista Maynard Ferguson e o cantor P.C. Moblee. Esse disco foi regiular nos charts, por pouco não ficou no Top 20. Já os singles passaram longe dali. Donnie Dacus não aguentou o pique da banda e acabou sendo demitido.

Em 1980, o Chicago voltou com os algarismos romanos e lançou o álbum Chicago XIV, dessa feita com a produção de Tom Dowd e contando com o guitarrista de estúdio Chris Pinnick no lugar de Dacus. O tecladista Wolinski tocou em seu quarto disco consecutivo com a banda. Upon Arrival (Lamm, Cetera), Song for You (Cetera), Birthday Boy (Seraphine, Wolinski) e The American Dream (Pankow). Além de Wolinski e Pinnick, a banda contou com Mark Goldenberg (guitarra) e Ian Underwood (programação). Esse disco foi um dos piores fiascos da banda. Vendeu pouco, ficou longe dos charts e como resultado, a banda foi dispensada da Columbia Records, depois de uma década trabalhando lá, a exemplo do que tinha acontecido com o Blood, Sweat & Tears (colegas de gravadora) em 1976. A década de 80 começava incerta para a banda.

Terry Kath: perda trágica que abalou o Chicago

Continua no próximo post

Deixe um comentário

Arquivado em Biografias, Jazz, Música, Rock and Roll, Rock Setentista

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s