Rock Setentista: Chicago, parte 6

O Chicago vinha de uma má fase no início dos anos 80, quando seu álbum Chicago XIV foi um fracasso em vendas e a Columbia Records rescindiu o contrato de longa data com a banda. Em 1982, assinaram com a Warner Brothers e contrataram o tecladista, cantor e guitarrista Bill Champlin e o produtor David Foster, ação essa que representou o retorno triunfal da banda às paradas de sucesso com o álbum Chicago 16, que teve o clássico Hard to Say I’m Sorry como grande destaque. Em 1984, o álbum Chicago 17 levou o Chicago ao topo com quatro singles (dentre os quais o hit You’re the Inspiration) bem colocados nos charts. No ano seguinte, a banda tencionava fazer uma turnê do álbum, mas Peter Cetera, o baixista e principal vocalista se recusou alegando que estava exausto e queria ficar mais tempo com a família. Pressionado pelos colegas, Peter deixou o Chicago e seguiu carreira solo.

Diante da baixa de Cetera, a banda começou a procurar um substituto e fechou com o baixista, cantor e compositor Jason Scheff (nascido Jason Randolph Scheff em 16 de abril de 1962, filho do famoso baixista Jerry Scheff, que trabalhou por muito tempo na banda que acompanhava Elvis Presley. Reza a lenda que o pessoal da banda teria ouvido uma canção demo que Scheff teria mandado para Cetera para seu álbum solo e ficou interessada. O que pesou para a contratação de Sheff como novo frontman, foi o fato dele conseguir emular perfeitamente a voz de Cetera, além de ser um hábil baixista. Começava uma nova fase na carreira do Chicago.

Em 1986, a banda lançou o single 25 or 6 to 4, contando com One More Day (Pankow, Carmen Grillo) no lado B, uma releitura do clássico da banda, o batismo de fogo de Scheff como vocalista do Chicago. Em seguida, veio o álbum Chicago 18, também sob a batuta de David Foster, que contou com as músicas do single, além de Will You Still Love Me (Foster, Tom Keane, Richard Baskin), If She Would Have Been Faithful… (Steve Kipner, Randy Goodrum) e It’s All Right (Foster, Champlin). As duas primeiras músicas foram um grande sucesso nos charts (3º e 17º lugares). Os músicos que atuaram nas sessões foram: Michael Landau (guitarra), em seu quarto disco consecutivo do Chicago, Howard “Buzz” Feiten (guitarra), Tom Keane (teclados, backing vocals), Bo Tomlyn, Reverend Dave Boruff, Michael Boddicker e Steve Lukather [do Toto] (programação), Rhett Lawrence (programação de cravo sintetizado), John Joyce, regente do coral formado por Betty Joyce, Felicia Parazaider, Laurie Parazaider, Jason Pasol, Myhanh Tran, Peter Wade, Alitzah Wiener e Melody Wright; Gerald Vinci (mestre de concerto). O Chicago centrou fogo na turnê e não lançou disco no ano subsquente, algo que nunca ocorreu na história da banda.

Em 1988, nova mudança na banda: saíram o guitarrista Chris Pinnick e o produtor David Foster, apesar do Chicago estar na crista da onda. A banda queria testar novas produções. Para o álbum Chicago 19, chamaram Ron Nevison e Chas Sandford para produzir e o novo guitarista passou a ser Dawayne Bailey, que havia tocado com Jason Scheff na lendária Bob Seger & the Silver Bullet Band.Foio primeiro disco do Chicago a não contar com inúmeros músicos de apoio. Bill Champlin fez sua estreia como vocalista principal num trabalho da banda, Look Away (Diane Warren). Outros destaques do disco: I Don’t Wanna Live Without Your Love (Diane Warren, Albert Hammond),We Can Last Forever (Jason Scheff, John Dexter) What Kind Of Man Would I Be? (Scheff, Chas Sandford, Bobby Caldwell) e You’re Not Alone (Jim Scott). O álbum e os singles alcançatam o Hot 100 da Billboard. No ano seguinte, fizeram uma grande turnês e um antológico show conjunto com os Beach Boys. Foi lançada a coletânea Greatest Hits 1982-1989.

O ano de 1990 marcou mais uma mudança no line up. O baterista e até então manda-chuva da banda foi demitido de forma até hoje controversa. Foi a terceira baixa mais significativa no Chicago (além de Terry Kath e Peter Cetera). Para o lugar de Seraphine, foi contratado o competente e tarimbado Tris Imboden (nascido Gregory Tristan Imboden no dia 27 de julho de 1951), que tem no currículo trabalhos com Neil Diamond, Kenny Loggins, Firefall, Richard Marx, Steve Vai, Roger Daltrey e Crosby, Stills & Nash. Também fez turnês com Kenny Loggins, Al Jarreau, Firefall, Cock Robin e outros. Em 1991, foi lançada a antologia em quatro discos Group Portrait, indispensável para os fãs da banda, um inventário de grandes canções e clássicos da banda.

O batera Danny Seraphine: outro fundador que sai do Chicago

Continua no próximo post

Deixe um comentário

Arquivado em Biografias, Música, Rock and Roll, Rock Setentista

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s