Rock Setentista: Chicago, parte 9

Em 1999, o Chicago lançou mais um álbum ao vivo, Chicago XXVI, contando com um novo guitarrista Keith Howland. Em 2001, saiu o primeiro documentário sobre a trajetória da banda no programa Behind the Music da VH1. Entre 2002 e 2007, a banda lançou as coletâneas The Very Best of Chicago: Only the Beginning, The Box (caixa com cinco discos e um DVD) e The Best Of Chicago: 40th Anniversary Edition , além do disco natalino What’s It Gonna Be, Santa? (reedição de Chicago XXV – Christmas Album) e o inédito Chicago XXX. Vieram tunês conjuntas com Huey Lewis & The News e America.

Em 2008, a banda finalmente lançou Chicago XXXII: The Stone of Sysiphus , com material do disco que foi rejeitado em 1993, com a produção de Peter Wolf, que também tocou teclados e fez alguns arranjos. Estava na lista de álbuns que mais demoraram para ser oficialmente lançados, juntamente com Smile dos Beach Boys e Chinese Democracy do Guns’N’Roses. Uma versão integral do álbum havia sido lançada no Japão em 1998. Além dos músicos de estúdio Bruce Gaitsch, que tocou com o Chicago no álbum Night and Day e Sheldon Reynolds (guitarras) e Joseph Williams (vocais de apoio), o disco contou com a especialíssima participação do lendário grupo vocal The Jordanaires, que acompanhava Elvis Presley em seus primórdios na faixa Bigger Than Elvis, que os fãs do Chicago ouviram oficialmente em The Box. É uma homenagem ao pai do vocalista do Chicago Jason Scheff, o ilustre baixista Jerry Scheff, que fez parte da bada de Elvis por muitos anos Além dessa música, os destaques do disco são Stone of Sisyphus (outra que foi lançada no The Box), All the Years (Lamm, Gaitsch), Mah-Jong (Scheff, Brock Walsh, Aaron Zigman) e Let’s Take a Lifetime (Scheff, Walsh, Zigman). A única música do disco original que permanece inédita oficialmente é Get on This (Dawayne Bailey, Felicia Parazaider, Pankow). O disco não teve êxito e ficou fora do Hot 100 das paradas.

Em 2009, aconteceu outro show conjunto com o Earth, Wind & Fire e o tecladista, vocalista e guitarrista de longa data Bill Champlin, que tocou com o Chicago por 27 anos, saiu para cuidar de outros projetos. Para seu lugar, a banda chamou o experiente Lou Pardini, que já tinha tocado como músico de apoio e substituiu Champlin em 2007. Também reativou o setor de percussão da banda, contratando o tarimbado produtor, baterista e percussionista Drew Hester (nascido em 1969), que já havia substituído o batera Tris Imboden numa ocasião. No ano seguinte, o Chicago excursionou com os Doobie Brothers, outra banda legendária dos anos 70. Fez ainda uma pariticpação especial no reality show American Idol.

Em 2011, a banda fez um show com a Orquestra Sinfônica do Colorado, sendo a primeira vez que a banda se apresentou com uma orquestra propriamente dita. No final, lançaram seu terceiro disco de Natal, Chicago XXXIII: O Christmas Three, onde retomaram a parceria com o produtor Phil Ramone (que havia produzido os álbuns Hot Street e Chicago 13), álbum que contou com a participação especial dos amigos do America Gerry Beckley e Dewey Bunnell (vocais, ukuleles, guitarras) na faixa I Saw Three Ships (tradicional), a cantora Dolly Parton em Wonderful Christmas Time (Paul McCartney), o cantor BeBe Winans (do duo BeBe & CeCe) em Merry Christmas, Darling (Richard Carpenter) e o guitarrista Steve Cropper em Rockin’ And Rollin’ On Christmas Day (Loughnane, John Durill). Também pariticparam do disco o violonista Hank Linderman tocando cuatro (um tipo de violão de quatro cordas muito comum na América Latina) em I Saw Three Ships e um lindo e afinado coral infantil composto por Grace Howland, Hope Howland, Lydia Young, Jillian DeGrie, Lilli Pankow, Carter Pankow, Connor Scheff, Jason Scheff Jr. em Here Comes Santa Claus/Joy To The World. Quase que ao mesmo tempo, a banda lançou Chicago XXXIV: Live in 1975, registro de shows da banda feito aquele ano, ainda contando com o saudoso Terry Kath e o nosso brasileiríssimo Laudir de Oliveira em seus dias de Chicago.

Em 2012, a banda fez uma nova turnê com os Doobie Brothers e aconteceu mais uma mudança no line up: Drew Hester saiu e o novaiorquino com sangue portorriquenho Daniel de los Reyes, neto do legendário percussionista cubano Walfredo Reyes II foi chamado para seu lugar. Ele fez alguns shows e passou a bola para seu irmão, Walfredo Reyes {Neto](ex-Santana).

Stone of Sysiphus: álbum que demorou 15 anos para ser lançado

Conclui no próximo post

Deixe um comentário

Arquivado em Biografias, Música, Rock and Roll, Rock Setentista

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s