Grandes Nomes do Soul: Booker T. & The MG’s, parte 1

Uma das principais bandas dos primórdios do Soul que foi formada por músicos que trabalhavam na lendária gravadora Stax, tendo acompanhado alguns dos principais artistas da casa. Destaca-se por ser um grupo composto por negros e brancos, mostrando que a músicas de qualidade não tem uma cor predominante. Muitos os consideram os Beatles do Soul Instrumental. Vamos falar de Booker T. & The MG’s.

A saga desta incrível banda teve início quando o organista e pianista Booker T. Jones (nascido no dia 12 de novembro de 1944 em Memphis, Tennessee, EUA) começou a trabalhar na Satellite Records em 1960. Seu début se deu tocando sax barítono em Cause I Love You de Rufus e Carla Thomas. Quando estava numa loja da gravadora, conheceu um dos vendedores, Steve Cropper (nascido Steven Lee Cropper no dia 21 de outubro de 1941 em Willow Springs, Missouri, EUA) de quem ficou muito amigo. Steve era guitarrista da banda The Mar-Keys, que fez sucesso com a música Last Night (1961).

Em 1962, Steve e Booker T. se tornaram colegas de gravadora. Nas horas vagas dos trabalhos junto aos artistas da Satellite, que mudou o nome para Stax Records, a dupla fazia umas jams e improvisações contando com o baixista Lewie Steinberg (nascido Lewis Stenberg no dia 13 de setembro de 1933 em Memphis, Tennessee, EUA) e o baterista Al Jackson, Jr. (nascido Alan Jackson Jr. no dia 27 de novembro de 1935 em Memphis, Tennessee). O dono da gravadora gostou da sonoridade do grupo e achou que els poderiam gravar como entidade à parte da banda da casa. Como Booker T. agia como líder do quarteto, apesar de ser o caçulinha do grupo, o grupo foi batizado Booker T. & The MG’s, nome que até hoje gera controvérsias, uma vez que o organista sempre atribuiu o nome a uma sugestão de Al Jackson, uma abreviação de Memphis Group já que três quartos dos integrantes eram oriundos da Capital do Rock. Um executivo da Stax Records, Chips Morman, refuta essa história, dizendo que MG’s era por causa de seu carro esportivo (um MG). A banda acompanhou Carla Thomas em seu maior sucesso Gee Whiz.

Em maio daquele ano, eles gravaram seu primeiro single, Green Onions (Jones, Cropper, Steinberg, Jackson), que chegou a ser lançado como lado B de Behave Yourself (também composta pelo quarteto). Steve e alguns disc jockeys locais achavam que a primeira , tendo com base um blues em 12 compassos (12 Bar Blues), tinha muito mais potencial para ser lado A e não estavam errados: a música, relançada como lado principal em setembro, foi um grande sucesso da gravadora naquele ano, chegando ao primeiríssimo lugar nos charts de R&B e ficando em terceiro no Hot 100 da Billboard. Os MG’s começavam a angariar respeito dentro e fora da Stax.

Paralelo ao seu trabalho na banda da gravadora, os músicos costumavam tocar em outros locais e individualmente e em grupo como produtores, músicos de apoio e compositores de artistas da gravadora como Otis Redding, Wilson Pickett, Bill Withers, Sam & Dave e outros. Em outubro de 1962, saiu o primeiro álbum Green Onions, que além de contar com o single de sucesso ainda tinha a versão do grupo para I Got a Woman, clássico de Ray Charles  e Twist and Shout (Medley, Russell), uma música que foi um sucesso com The Isley Brothers e no ano seguinte foi regravada pelos Beatles, além de One Who Really Loves You (Smokey Robinson) e Lonely Avenue (Doc Pomus).

Em 1963, gravaram mais quatro singles: Jellybread/Aw Mercy, Home Grown/Burnt Biscuit, Chinese Checkers/Plum Nellie e Mo’ Onions/Fannie Mae. Nenhum deles fez bonito como Green Onions, mas figuraram no Hot 100 da Billboard em colocações inexpressivas. Apesar disso, participaram das sessões de gravação do clássico de Rufus Thomas, Walking the Dog, regravada pelos Rolling Stones no ano seguinte, em seu álbum de estréia. Booker T. começou a fazer curso superior de música na Universidade de Indiana e tocava com a banda nos finais de semana. Seu substituto nos outros dias era o compositor/pianista e cantor do cast da Stax Isaac Hayes, que se tornou uma espécie de MG honorário, embora nunca tenha sido contado como membro efetivo. Em algumas sessões, Hayes e Booker T. chegaram a tocar juntos. No ano seguinte, os MG’s gravaram mais alguns singles inexpressivos como Tic Tac Toe/Mo’OnionsSoul Dressing/MG Party e Can’t Be Still/Terrible Things, que tiveram desempenho pífio nos charts dos EUA.

Continua no próximo post

600full-booker-t.-and-the-mg's

MG’s em 1962: Lewie, Booker T., Steve e Al

Deixe um comentário

Arquivado em Biografias, Grandes Nomes do Soul, Música, Soul e R & B

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s