Grandes Nomes do Soul: Booker T. & The MG’s, finale

Em 1970, os MGs resolveram fazer um belo tributo aos Beatles, uma banda que era admirada, sobretudo por Booker T. e Donald “Duck” Dunn. Para tanto, escolheram o set list do álbum Abbey Road dos Fab 4. Assim , foi gravado e lançado o disco MacLemore Avenue (endereço do QG na Stax em Memphis, numa citação ao endereço onde os Beatles gravaram toda sua discografia). No ano seguinte, mudanças administrativas na Stax fizeram com que Booker T. e Steve Cropper batessem de frente com o novo diretor e o resultado foi a saída do organista e do guitarrista dos MG’s do cast ba gravadora em meio ao lançamento do álbum Melting Pot. Após um lapso de dois anos, Donald e Al Jackson Jr. reuniram-se com dois novos integrantes da banda, Carson Whitsett (órgão) e Bobby Manuel (guitarra) para lançar o disco The MG’s, o único dessa formação. Em 1975, os fundadores da banda voltaram a se falar e um retorno ás origens foi cogitado. às vésperas do evento, o baterista Al Jackson foi assassinado em sua casa.

Em 1977, dois anos após a morte de Al, os MG’s decidiram voltaram a gravar juntos, contando com o baterista Willie Hall (nascido no dia 8 de agosto de 1950), que também fizera parte do cast de músicos de estúdio da Stax e futuramente formou com Steve e Duck a Blues Brothers Band. O resultado foi o álbum Universal Language, único trabalho deles pela Asylum Records, produzido pela banda junto com Tom Dowd. Os destaques são Sticky Stuff, Space Nuts, Last Tango in Memphis e Tie Stick. No restante da década, os MG’s sobreviventes continuaram juntos, trabalhando com produção e como banda de apoio em diversos projetos musicais. Steve e Duck conheceram os atores John Belushi e Dan Aykroyd do Saturday Night Live e ajudaram a criar a esquete chamada The Blues Brothers, que acabou se tornando uma banda de verdade, chegando a gravar o álbum Brief Case Full of Blues (1977) e que se tornou um filme em 1980. O trio ainda tocou com o batera do The Band, Levon Helm em seu projeto RCO All Stars.

Em 1988, os MG’s contando com o competente Anton Fig (nascido no fia 8 de agosto de 1952 na Cidade do Cabo, África do Sul) na bateria, tocaram no aniversário de 40 anos da gravadora Atlantic Records, detentora do acervo da Stax. Tomaram gosto pela coisa e foram banda de apoio de feras como Bob Dylan, Eric Clapton, Johnny Cash, Stevie Wonder e George Harrison (sim! eles tocaram com um Beatle!).

A década de 90 foi o momento da banda ser hoemnageada por sua trajetória em favor do Rock e do Soul. Em 1992, firam introduzidos no Rock and Roll Hall of Fame e em 1995, se tornaram a banda de abertura de eventos do museu da entidade, tendo feito jams fenomenais acompanhando grandes nomes como Aretha Franklin, Sam Moore, John Fogerty e Al Green. parelelamente, continuaram com seus trabalhos individuais. Booker T. Gravou disco e produziu, enquanto que a dupla Steve/Duck também levava seus projetos, como a Blues Brothers Band, adiante.

Em 1994, os MG’s gravaram um disco inédito, That’s the Way It Should Be, quase 17 anos depois de Universal Language com produção de Booker T. Jones. Para a bateria, chamaram o multiinstrumentista Steve Jordan (nascido no dia 14 de janeiro de 1957 em Nova York, NY), que já havia tocado em alguns shows, revezando com Anton Fig. Os destaqgues são as versões a la MG’s de músicas como Just My Imagination (Running Away From Me) dos Temptations, Cruisin’ (Smokey Robinson) e Let’s Wait a While (Janet Jackson), além de Mo’ Greens e Slip Sliding. Este foi o último disco da banda até o momento.

Em 2002, o  baterista Steve Potts, primo do saudoso Al Jackson Jr. tornou-se músico fixo da banda e com essa formação, os MG’s foram banda de apoio de Neil Young em seu álbum Are You Passionate?, além de terem sido agraciados com muitas honrarias pela revista Rolling Stone, que os escolheu como um dos 100 Maiores Artistas de Todos os Tempos (eles ficaram na posição nº 93). Também receberam, em 2007, um Grammy pelo conjunto da obra. No dia 8 de maio daquele ano, faleceu o tecladista Carson Whitsett, que substituiu Jones nos MG’s e era um grande amigo de toda a banda.

No dia 13 de maio deste ano, o querido amigo e baixista Donald “Duck” Dunn faleceu alguns dias após uma turnê que os MG’s fizeram no Japão. Segundo a assessoria de imprensa da banda, ele morreu de causas naturais aos 70 anos. Apesar da lamentável e considerável perda, seus colegas, agora convertidos em trio não pensam em parar de se apresentar tão cedo. E a história continua.

Booker_T_and_the_MGs_t588

Booker T & The MG’s em 2010: três grandes amigos

Fontes:

Wikipedia

http://ilovememphisblog.com/2010/06/booker-t-s-mclemore-ave-is-a-memphis-classic/ http://www.bookert.com/

Deixe um comentário

Arquivado em Biografias, Grandes Nomes do Soul, Música, Rock and Roll, Soul e R & B, The Beatles

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s