Monkees Review: o Líder Michael Nesmith, finale

Depois de se envolver em muitas produções de vídeos e filmes nos anos 80, Mike gravou, em 1992, seu primeiro álbum inédito em uma década “… Tropical Campfire’s …”, mostrando todas a sua influência pela música latina e fez uma turnê pelos EUA e Inglaterra. Em 1995, seu colaborador de longa data, O.J. Rhodes faleceu e no ano seguinte, por ocasião dos 30 anos do seriado que o consagrou, voltou a se reunir com os velhos colegas dos Monkees para gravar o disco Justus, que contou apenas com a participação do quarteto, sem músicos de estúdio e produzido por eles mesmos. Em 1997, fizeram o especial de TV Hey Hey It’s Monkees e uma turnê. Mike decidiu deixar a banda em meio à parte britânica da excursão. Em 1999, saiu seu segundo disco ao vivo, Live at Britt Festival e no ano seguinte, casou-se de novo.

No ano 2000, Mike resolveu lançar, com o atraso de quase 20 anos, a trilha sonora do filme que produziu em 1982, Timerider: The Adventure Of Lyle Swann, com material 100% próprio, que chegou a ser gravado na época, mas ficou engavetado. Destacam-se temas incidentais como The Baja 2000, Scared to Death, I Want That Machine e Murder at Sallow Camp. Em 2005, o velho camarada John London, que tocou com Mike no começo da carreira, deu uma força aos Monkees e participou da First National Band faleceu.

Em 2006, saiu o último disco de Mike (no formato convencional), Rays, uma mistura de elementos de Jazz, Swing e Funk Instrumental, saindo um pouco da linha Country e Folk que caracterizava seu trabalho. Há poucos vocais, mas a experiência musical de Mike enquanto instrumentista está presente. Em 2010, saiu o último disco de Mike ao vivo, tendo a colaboração do saudoso O.J. Rhodes,  The Amazing ZigZag Concert, na verdade parte de uma cimpoilação de 5 CDs, gravados por diversos artistas. Em 2011, Mike produziu o álbum da cantora e guitarrista de Blues Carolyn Wonderland, Peace Meal. Também nesse ano, elaborou o site Videoranch.com, onde aderiu ao formato MP3, laçando desde então alguns álbuns digitais. Seu casamento com Victoria Kennedy chegou ao fim e teve que recusar novamente uma reunião com os Monkees pelo 45º aniversário da banda, por causa de uma doença, que só foi revelada recentemente.

Em 2012, a morte do velho amigo Davy Jones o deixou profundamente abalado e ele decidiu se reunir com Peter e Micky para uma série de concertos nos EUA, contando com seu filho Christian Nesmith e os músicos que acompanhavam Davy na banda de apoio encerrando inúmeros boatos existentes sobre sua saúde e sobre sua relação com os Monkees. Quando perguntado sobre essa retomada, após ter deixado a banda há anos, Mike respondeu:

“Eu realmente nunca deixei a banda. Ela é uma parte da minha juventude que está sempre ativa em meus pensamentos e parte do meu trabalho global como um artista. Ela permanece em um lugar especial”.

Michael Nesmith

monkees2012

Os Monkees em 2012: a volta?

Fontes:

Wikipedia

monkees.net

1 comentário

Arquivado em Aniversariantes, Biografias, Humor, Música, Monkees Review, Rock and Roll, The Monkees

Uma resposta para “Monkees Review: o Líder Michael Nesmith, finale

  1. Rosemary Conceição Gonçalves

    Obrigada pela informações sobre a vida do mestre da música Michael Nesmith….Adorei!!!🙂

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s