Grandes Nomes do Rock: The Hollies, parte 2

Alan Clarke e Graham Nash, dois vizinhos e colegas de escola formaram o duo Rick and Dane Young e em 1962, acabaram ingressando na banda The Foretones. Em dezembro desse ano, mudaram o nome da banda para The Hollies e após serem vistos pelo assistente de produção da Parlophone, Ron Richard, els fizeram um teste e foram aprovados. Gravaram alguns singles e nessa altura, o guitarrista Tony Hicks havia sido admitido e com a saída do baterista Don Rathbone e a entrada de Bobby Elliott, estava formado o line up clássico da banda.

Em janeiro de 1964, saiu o primeiríssimo álbum da banda Stay With The Hollies com produção de Ron Richards, apresentando como destaque os covers Stay (Maurice Williams & The Zodiacs), Mr. Moonlight (Dr. Feelgood & The Interns), Rockin’ Robin (Bobby Day), You Better Move On (Arthur Alexander), Memphis e I’m Talking ‘Bout You (Chuck Berry) e Little Lover, uma composição de Nash e Clarke. A versão norte americana do álbum, lançada pela Capitol contém as músicas lançadas em single no ano anterior mais uma composição de Tony Hicks e Bobby Elliott, Keep Off That Friend of Mine. O disco ficou em segundo lugar nos charts britânicos. Com o advento da Segunda Onda, Os Hollies também causaram frisson em terras americanas, embora ainda não fossem bons vendedores de discos por lá.

No decorrer do ano foram lançados os singles Just One Look (Gregory Carroll, Doris Payne), cover de Doris Troy, tendo Keep Off That Friend of Mine como verso; Here I Go Again (Mort Shuman, Clive Westlake) com Baby That’s All (Chester Mann) no lado B e We’re Though (L. Ransford, pseudônimo usado pelo trio Nash/Clarke/Hicks usando o nome do avô de Graham Nash)/Come On Back (Ransford). Esses singles alcançaram o 2º, 4º e 7º lugares nas paradas britânicas, respectivamente. Just One Look foi o primeiro single dos Hollies que chegou ao Hot 50 da Billboard, ficando com a 44ª colocação. O single Lucille (cover de Little Richard e Everly Brothers) também foi lançado mas só conseguiu marcar presença nos charts da Austrália (67º lugar). Em novembro, saiu o segundo álbum da banda, In The Hollies Style, com a maioria das músicas compostas pela banda, como To You My Love (Nash) e Time For Love (Clarke), além de covers vibrantes como Too Much Monkey Business (Chuck Berry) e It’s in Her Kiss (Betty Everett). Esse disco não chegou ás paradas.

Em janeiro de 1965, saiu o single Yes I Will (Gerry Goffin, Russ Titelman)/Nobody (Ransford), que ficou em 9º lugar nas paradas do Reino Unido. Em seguida veio I’m Alive (Clint Ballard Jr.)/You Know He Did (Ransford), que ficou com o primeiro lugar nos charts britânicos, Look Through Any Window (Graham Gouldman, Charles Silverman/So Lonely (Ransford), que ficou em 4º no Reino Unido e em 32º nos EUA. Já o single seguinte, If I Needed Someone (George Harrison), um cover dos Beatles, que tinha I’ve Got a Way From My Own (Ransford) , que ficou em 20º lugar nos charts britânicos tem uma história interessante.

Os Beatles , que já conheciam os Hollies de shows que as duas bandas faziam juntas no circuito do Mersey Beat e que tiveram os rapazes de Manchester em um programa que os garotos de Liverpool apresentavam na BBC (Pop Go The Beatles) ofereceram uma música de seu repertório para os colegas gravarem. Uma provável candidata era Girl (Lennon, McCartney), que saiu no álbum Rubber Soul dos Fab 4. Mas Nash e Clarke escolheram a composição de George do mesmo disco. Reza a lenda que Harrison teria odiado a versão dos Hollies.

No mesmo ano, saiu ainda o single Very Last Day (Noel  Stookey, Peter Yarrow), um cover de Peter, Paul & Mary com Too Many People (Ransford) no verso, disco que não chegou aos charts britânicos e norte americanos mas ficou em 3º na Suécia. Em setembro de 1965, saiu o terceiro álbum da banda, The Hollies, que contava com o single acima, alem dos covers Lawdy Miss Clawdy (Lloyd Price), Mickey’s Monkey (Smokey Robinson & The Miracles), You Must Believe Me (Curtis Mayfield), Down the Line (Roy Orbison) e as próprias Put Yourself in My Place e I’ve Been Wrong, assinadas como L. Ransford. O disco ficou em 8º nos charts do Reino Unido e num osbcuro 145º lugar na parada dos EUA.

Continua no próximo post

The Hollies: a formação clássica

The Hollies: a formação clássica

Deixe um comentário

Arquivado em Biografias, Grandes Nomes do Rock, Música, Rock and Roll

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s