Grandes Nomes do Rock: The Hollies, parte 5

Em 1967, os Hollies lançaram o álbum Butterfly, que foi um fracasso nas paradas e decidirram seguir numa vertente mais pop, diferente da direção mais psicodélica que algumas bandas britânicas adotaram à época. Graham Nash não gostou dessa postura e a crise interna começou a se instaurar quando uma composição de sua lavra, Marrakesh Express foi rejeitada pelos gestores da banda para figurar no próximo álbum. Para minimizar um pouco as coisas, a banda começou a gravar um repertório calcado em composições de Bob Dylan. Lançaram o single Jennifer Eccles, que colocou os Hollies na lista dos 10 mais do Reino Unido ainda que não tenha tido boa receptividade nos EUA. O single Blowin’ the Wind, uma prévia do que eles estavam fazendo foi muito mal nos charts. Veio o single Listen to Me, que foi a última colaboração de Nash para os Hollies. Ele saiu em dezembro de 1968 e formou o supergrupo Crosby, Stills & Nash. Terry Sylvester (ex-Swinging Blue Jeans foi recrutado para seu lugar.

Em fevereiro de 1969, saiu o single Sorry Suzanne (Stephens, Macaulay)/ Not That Way At All (Clarke), a estreia da nova formação da banda. O disco ficou em 3º lugar nos charts britânicos e em 56º na Billboard. Em maio foi lançado o álbum Hollies Sing Dylan, produção de Ron Richards e como o nome diz, é repleto de composições do bardo Bob Dylan. Nash chegou a pariticpar do processo de escolha, mas saiu antes do projeto começar a ser engrenado. Os destaques do álbum são My Back Pages, Just Like a Woman, All I Really Want to Do e The Times They Are-a Changing. O disco não chegou aos charts.

Em setembro, saiu o single He Ain’t Heavy, He’s My Brother (Bob Russell, Bobby Scott)/‘Cos You Like To Love Me (Hicks). A música do lado A, com sua mensagem de ativismo social, é considerada uma das mais bem sucedidas da história da banda, convertendo-se num clássico da música contemporânea. Chegou ao primeiríssimo posto das paradas britânicas (certificação Prata) e ficou no cobiçado Top 10 da Billboard (7º lugar nos charts). Contou com a participação especial de Elton John no piano. Em novembro, saiu o álbum Hollies Sing Hollies, com músicas de autoria própria, a maioria assinada pelo trio central Clarke, Sylvester & Hicks, com destaque para Why Didn’ You Believe?, Please Sign Your Letters, Do You Believe in Love e Reflections of a Time Long Past, a estréia do baixista Bernie Calvert como compositor solo.

Em abril de 1970, foi lançado o single I Can’t Tell  the Bottom From the Top (Fletcher, Flett)/Mad Professor Blyth (Clarke). A música do lado A contou com Elton John novamente no piano a exemplo do single anterior. O disco chegou ao 7º lugar das paradas britânicas e ficou na 82ª colocação nos charts dos EUA. O single seguinte, Too Young To Be Married não chegou aos charts britânicos e norte americanos mas fez bonito na Austrália e Nova Zelândia, ficando em primeiro lugar. Em setembro de 1970, saiu o single Gasoline Alley Bred (R. Cook – A. Greenaway – T. Macaulay)/Dandelion Wine (Hicks) que ficou em 14º lugar nas paradas do Reino Unido. Em novembro, saiu o álbum Confessions of the Mind, mantendo a mesma estética do álbum anterior com repertório próprio da banda como Man Without a Heart (Clarke, Sylverter, Hicks), Confessions of the Mind (Hicks), I Wanna Shout (Clarke, Sylvester) e até uma composição de Clarke e Hicks com o velho parceiro Graham Nash, Survival of the Fittest.

Em maio de 1971, foi lançado o single Hey Willy (Clarke, Greenaway, Cook)/ Row The Boat Together (Clarke) que chegou ao 22º lugar nas paradas britânicas e 110º posto nos EUA. O single The Baby ficou em 26º lugar e não chegou aso charts norte americanos. Em outubro de 1971, aiu o álbum Distant Light, com prodição da banda em conjunto com Ron Richards, com a maioria das músicas compostas por Tony Hicks em parceria com o famoso cantor afro-britânico Kenny Lynch [curiosidade: Lynch foi o primeiro intérprete de uma música de Lennon & McCartney fora os Beatles]. Músicas como What A Life I’ve LedTo Do With Love dividem espaço com o clássico dos Hollies Long Cool Woman in a Black Dress  (Clarke, Greenaway, Cook) e Pull Down the Blind (Sylvester). O disco, último trabalho na Parlophone, foi um fracasso comercial.

Para piorar a situação, o frontman e cantor Allan Clarke, a exemplo do que aconteceram com o amigo Graham Nash anos antes, andava descontente com a banda no tocante ao material dos discos e começou a bater de frente com Ron Richards, empresário dos Hollies. Vendo o grande sucesso do ex-Holly no Crosby, Stills & Nash, Clarke resolveu que era chegada a hora de deixar a banda que fundara uns quase dez anos antes e tentar a sorte numa carreira individual.

A formação dos Hollies a partir de 1970

A formação dos Hollies a partir de 1970

Continua no próximo post

Deixe um comentário

Arquivado em Biografias, Grandes Nomes do Rock, Grupos vocais, Música, Rock and Roll, Supergrupos

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s