Gêneses do Rock Brasileiro: O Rock chega ao Brasil

Em 1955, o Brasil vivia uma época de prosperidade como nunca antes em sua história, no décimo aniversário do fim da Segunda Guerra Mundial (1939-1945) e do famigerado Estado Novo (1937-1945), um período ditatorial que assolou o país durante quase uma década. A escolha de Eurico Gaspar Dutra, como o primeiro presidente eleito pelo voto popular desde 1930 inaugurava um período de democracia e esperança. Nas eleições seguintes, Getúlio Vargas, um dos artífices do Estado Novo, foi ironicamente eleito pelo voto popular, mas acabou dando cabo da própria vida no ano anterior, após uma crise política que abalou seu mandato. Em seguida, Veio Juscelino Kubitschek que quase não assumiu por causa de um golpe que acabou sendo desbaratado. A Capital Federal era a cidade do Rio de Janeiro e a população do País girava em torno de 52 milhões de habitantes (dados de 1950). No futebol, a sociedade brasileira ainda se recuperava da derrota na final da Copa do Mundo de 1950, realizada no Brasil e do fiasco da Seleção na Copa de 1954 na Suíça. Segundo o cronista Nelson Rodrigues, vivíamos intensamente o “complexo de cachorro vira-latas”.

Ao mesmo tempo em que os jovens brasileiros assistiam ao filme “Sementes da Violência” pela primeira vez, o tema principal da película era gravado por um intérprete brasileiro. A gravadora Continental procurou em seu cast algum artista que soubesse cantar em inglês. Nora Ney, um dos principais nomes do samba-canção, também conhecido como “dor de cotovelo” era a única com esse requisito e então em novembro daquele ano, era lançado o compacto “Rock Atound the Clock” / “Ciuminho Grande”, sendo o primeiro disco de Rock gravado por um brasileiro. Se bem que não era chamado propriamente de Rock, sendo até categorizado como Fox-trot. Segundo a Revista do Rádio, o disco alcançou os primeiros lugares em vendas no país. No mês seguinte, a RCA Victor lançou uma versão em português chamada “Ronda das Horas”, cantada por Heleninha Silveira que não teve muita repercussão. No começo do ano seguinte, a cantora Marisa Gata Mansa regravou a versão em inglês.

Em 1956, ano em que começaram as obras da nova capital farderal no Planalto Central, o êxito inicial do Rock and Roll não foi suficiente para atrair novos intérpretes. Poucos cantores brasileiros se prontificaram a cantar o novo estilo, como o famoso cantor Cauby Peixoto, que era, àquela época um dos mais populares artistas do País. Cauby sentiu-se atraído pelo Rock e foi para os EUA, onde assumiu o nome de Ron Coby (depois Coby Dijon), cantando em inglês. Ele participou do filme Jamboree e até foi convidado para começar uma carreira em terras ianques. Com essa falta de artistas nacionais, os intérpretes estrangeiros se tornaram excelentes vendedores de discos. Elvis Presley estava no início de sua trajetória e começaram a surgir os primeiros fãs brasileiros do cantor. Além de Elvis, Little Richard, The Platters e Chuck Berry eram outros roqueiros que davam o ar da graça nas lojas de discos.

O ano de 1956 também marcou a estreia nos cinemas paulistanos, do filme Ao Balanço das Horas (no original, Rock Around the Clock), estrelado por Bill Haley & Seus Cometas, Allan Freed, The Platters e Eddie Bell, que aproveitou o título do hit que arrebatou a moçada no ano anterior. Os jovens brasileiros começavam a imitar os teen-agers americanos em suas roupas e modos. Os meninos usavam jaquetas de couro, calças jeans com a barra dobrada, camisas xadrez, cabelos com topetes penteados usando gomalina. As meninas com vestidos típicos e cabelos rabo-de-cavalo. Todos mascando muitos bubblegums (ou chicletes de bola, como ficaram conhecidos por aqui).

Começaram a surgir relatos de tumultos provocados por expectadores do filme, que subiam nas poltronas para gritar e dançar e formalizar verdadeiros quebra-quebras. Isso deu uma publicidade grande para o filme e preocupação para as autoridades locais. Consta que Jânio Quadros, então governador do Estado, teria expedido ordem expressa para prender os arruaceiros e se fossem menores de idade, deveriam ser entregues ao Juizado de Menores. O Rock começava a preocupar os pais dos jovens e começou a ser duramente criticado pelos mais conservadores, sendo chamado de vulgar e contra os bons costumes.

Nora Ney, a primeira artista brasileira a interpretar um Rock

Nora Ney, a primeira artista brasileira a interpretar um Rock

Wikipedia

Ensaio: Os Primórdios do Rock no Brasil por Andre de Oliveira

Rock Brasileiro 1955-65: trajetórias, personagens e discografia por Albert Pavão

Deixe um comentário

Arquivado em Gêneses do Rock Brasileiro, História do Rock, Música, Rock and Roll

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s