Mersey Beat Review: The Fourmost

Começamos aqui uma nova seção no nosso Musical Review dedicada ao Mersey Beat, uma das principais cenas do Rock Britânico, uma das frentes da Segunda Onda do Rock and Roll que levou á vitoriosa Invasão Britânica. Esse movimento musical de Liverpool e adjacências recebeu esse nome em homenagem ao jornal Mersey Beat (ritmo/batida do Rio Mersey), criado pelo jovem jornalista Bill Harry, que estudou com John Lennon no Art College. Bill usou a publicação para fazer um verdadeiro painel das bandas que começaram a ganhar visibilidade no Reino Unido a partir do estouro do single Please Please Me dos Beatles. Para começar, vamos falar de The Fourmost, banda que gravou material composto por Lennon & McCartney e que era uma das apadrinhadas pelo empresário Brian Epstein.

Tudo começou em 1957 quando os guitarristas e cantores Brian O’Hara (nascido no dia 12 de março de 1941) e Joey Bower (nascido Joseph Bower no dia 17 de novembro de 1939), ambos nascidos e criados no Dingle, bairro mais proletário de Liverpool, Inglaterra), dois amigos e colegas de escola formaram o duo de Skiffle The Two Jays. Com a entrada do baixista e vocalista Billy Hatton e do baterista Brian Redman (nascido no dia 21 de junho de 1941 em Huyton, Liverpool, Inglaterra) em 1959, o nome foi alterado para The Four Jays. Em 1961, eles fizeram seu début no Cavern Club e houve outra alteração no line up: saíram Joey Bower e Brian Redman para as entradas do ex-Undertakers Mike Millward (nascido Michael Millward no dia 9 de maio de 1942 em Bromborough, Cheshire, Inglaterra) e Dave Lovelady (nascido David Lovelady no dia 16 de outubro de 1942 em Litherland, Liverpool, Inglaterra).

Em 1962, o nome da banda foi mudado para The Four Mosts e finalmente The Fourmost e eles começaram a aparecer em gigs pela cidade e arredores. Também costumavam ser citados pelo jornal de Bill Harry. No início de 1963, houve um interesse nacional pelos jovens músicos de Liverpool e o Mersey Beat tornou-se uma tendência. Em junho de 1963, assinaram um contrato com Brian Epstein, o empresário que impulsionou a carreira dos Beatles e tiveram acesso às composições exclusivas de Lennon & McCartney, feitas para atender ao repertório das bandas emergentes que estavam no cast de Brian. Em setembro de 1963, gravaram seu primeiro single com Hello Little Girl (canção escrita por John Lennon em 1957, que tinha sido aproveitada no teste fracassado na Decca Records)., que tinha no lado B a música Just In Case. O disco teve uma boa colocação nos charts britânicos ficando em 9º lugar. Em novembro, gravaram seu segundo single com uma composição da lavra de Lennon & McCartney, I’m In Love (lado B Respectable). Esta ficou em 17º nas paradas do Reino Unido.

Em 1964, os Fourmost gravaram aquele que é considerado seu maior sucesso na carreira, o single A Little Loving (Russ Alquist)/Waiting for You que ficou em 6º lugar nos charts. Isso garantiu à banda aparições em programas de TV e shows junto com outras bandas empresariadas por Brian Epstein. Apesar de terem gravado mais alguns bons singles como How Can I Tell Her/You Got that Way, Baby I Need Your Loving (cover dos Four Tops)/That’s Only What They Say, Everything in the Garden/He Could Never e Girls Girls Girls (cover dos Coasters que Elvis Presley também fez versão)/ Why do Fools Fall in Love (cover de Frankie Lymon & The Teenagers)  eles não conseguiram emplacar mais nenhum hit nas paradas. 

Em 1965, saiu seu primeiro e único álbum, The First and the Fourmost, com um repertório composto por covers  como Yakety Yak (Coasters), The Girl Can’t Help It (Little Richard), The In-Crowd (Dobie Gray), Some Kind of Wonderful (Drifters) e Sure to Fall (In Love with You) de Carl Perkins. Em 1966, eles gravaram mais uma música de Lennon & McCartney, o clássico dos Fab 4 Here, There and Everywhere (com You’ve Changed no lado B). No mesmo ano saiu o single Auntie Maggies Remedy (cover de George Formby)/ Turn The Lights Down. A banda sofreu uma baixa com o falecimento do guitarrista Mike Millward em 7 de março de 1966, vítima de leucemia. para seu lugar, foi recrutado Joey Bowers, exatamente quem havia sido substituído poe Millward nos primórdios da banda. Em 1968 e 1969, gravaram os singles derradeiros da banda, Apples Peaches Pumpkin Pie / He Could NeverRosetta – música sugerida pelo amigo Beatle Paul McCartney, que participa da faixa tocando piano)/ Just Like Before. 

Em meados da década de 70, Bowers, Hatton e Lovelady saíram do Fourmost, cabendo ao único remanescente da formação original, Brian O’Hara, formar outro line up, que contou com o guitarrista Bill Haiseman como membro mais constante da banda nos anos 70. Brian saiu da banda no início da década de 80, cabendo a Bill o legado do Fourmost. Tristemente, Brian O’Hara se suicidou em 27 de junho de 1999. Após inúmeras mudanças e a saída de Bill Haiseman, o Fourmost continua na ativa, contando com o seguinte line up: Lee Clarkson (baixo, vocais), Kevin Clarkson (bateria, vocais), Colin Walsh (guitarra líder, vocais) e Alex Leyland (guitarra rítmica, vocais).

Fontes:

Wikipedia

http://www.thefourmost.co.uk/#/history/4532382692

http://www.merseybeatnostalgia.co.uk/html/the_fourmost.html

 

The_Fourmost

The Fourmost em 1963…

 

TheFourmost

…e em 2013, 50 anos de atividade

 

1 comentário

Arquivado em Biografias, Música, Mersey Beat Review, Rock and Roll, The Beatles

Uma resposta para “Mersey Beat Review: The Fourmost

  1. IVAN SERIGATO

    OBRIGADO POR INFORMAR A RESPEITO DESTA BANDA QUE SEMPRE CURTI – IVAN SERIGATO – ENGENHEIRO CIVIL – MÚSICO – ivanserigato@ig.com.br – PARABÉNS – DEUS O ABENÇOE

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s