Grandes Nomes do Soul: The Isley Brothers, parte 6

Em 1974, os Isley Brothers mantiveram a escrita do ano anterior e fizeram um excelente álbum intitulado Live It Up, que liderou os charts de Soul. No ano seguinte, mais um sucesso de vendagens e crítica, The Heat is On, segunda vez que eles ficaram no topo das paradas. Em 1976, lançaram o bombástico e clássico Harvest for the World e pela terceira vez, liderou os charts. Em 1977, como não poderia deixar de ser, Go For Your Guns manteve a banda no alto do pódio das paradas pela quarta vez! Em 1978, o álbum Showdown também teve uma ótima recepção e uma “pentaliderança” [desculpem o neologismo. N. do Ed.] nas paradas.

Em 1979, saiu o álbum Winner Takes All, produzido pela banda, onde eles entraram de sola na onda Disco que dominou a segunda metade da década de 70. Destacam-se as faixas I Wanna Be With You (Parts 1 & 2), Life in the City (parts 1 & 2), It’s a Disco Night (Rock Don’t Stop), parts 1 & 2 e a música que nomeia o disco. Pela primeira vez após 5 discos, um trabalho dos Isleys não fica em primeiro nos charts Soul, segurando um terceiro lugar, enquanto que na parada Pop ficou em 14º lugar. Receberam mais um Disco de Ouro pelas ótimas vendagens, fechando os anos 70 com chave de ouro.

Em 1980, foi lançado Go All the Way, também produzido pelos Isleys que tem como grande destaque a faixa título, além de outras grandes músicas como Don’t Good Night (It’s Time for Love), parts 1 & 2, Here We Go Again (parts 1 & 2) e The Belly Dancer (parts 1 & 2). Este disco marcou a volta da banda à liderança dos charts de Soul (primeiro lugar de novo!), conseguindo também a 8ª colocação na parada Pop. Bela forma de entrar de sola na década de 80.

Em 1981, veio The Grand Slam (produção dos Isley Brothers), onde pela primeira vez desde Get Into Something (1970) eles utilizam músicos adicionais. Coube a Eve Otto (harpa), Kevin Jones (congas) e Everett Collins (bateria) acompanhar os irmãos nas sessões de gravação. Destacam-se Tonight is the Night ((If I Had You), Hurry Up and Wait e Party Night. O resultado foi um merecido 3º lugar nas paradas Soul da Billboard. Nos charts Pop, o disco ficou em 28º lugar. Os singles do disco passaram longe do Top 10. No mesmo ano, eles lançaram outro álbum, Inside You, onde usaram pela primeira vez uma verdadeira orquestra (metais, madeiras e sopros), com destaque para a faixa título, Baby Hold On e Welcome Into My Heart. O disco ficou em 8º nos charts de Soul e em 45º na parada Pop. Começaram as primeiras desavenças no grupo.

Em 1982, lançaram The Real Deal, outra produção própria, onde embarcaram no Electro Funk, que estava em voga graças a feras como Rick James, Zapp, Prince e Gap Band. Novamente utilizarama os préstimos de músicos de apoio (cordas e percussão) na concepção do trabalho. Os destaques ficam por conta das faixas Stone Cold Lover, All in My Lover’s Eyes e a música que intitula o disco (em duas partes). O trabalho ficou em 9º lugar na parada Soul e passou longe do Top 50 Pop (amargou a 87ª posição). Os singles tiveram uma recepção fria, também ficando em posições abaixo da média. Internamente, a banda passava por um verdadeiro inferno astral. Os mais velhos e os mais novos começaram a se desentender, chegando a rolar discussões desagradáveis. O clima começou a pesar de fato.

Em 1983, o clima entre os irmãos era totalmente tenso e foi lançado Between the Sheets, o derradeiro álbum da fase 3+3, também produzido pela banda. apesar disso, os Isleys foram profissionais o bastante para manter um clima ameno durante as sessões e o disco é considerado outro clássico deles. Destacam-se a linda e deliciosa faixa título mais outros grandes momentos da banda como Choosey Lover, I Need Your Body e Rock You Good. Depois de dois álbuns abaixo do que os Isley Brothers eram capazes, o disco volou a liderar os charts, ficando em primeiro lugar na parada Soul e em 19º na parada Pop. Os singles ficaram bem postados no Top 10 das duas paradas. Apesar do sucesso, o mal já estava feito e o resultado foi a cisão do sexteto, como já era de se esperar.

Continua no próximo post

The Real Deal: o início do fim dos Isleys como sexteto

The Real Deal: o início do fim dos Isleys como sexteto

Deixe um comentário

Arquivado em Biografias, Grandes Nomes do Soul, Música, Rock and Roll, Soul e R & B

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s