Mersey Beat Review: The Tremeloes, parte 1

Eles são uma das mais longevas bandas da Inglaterra e também tiveram origem no Skiffle do fim da década de 50, também fazendo parte do Mersey Beat. Eles venceram os Beatles na preferência da Decca Records e primeiramente atuaram como “banda de apoio” do cantor Brian Poole, fazendo mais sucesso quando se desligaram dele, deixando seu nome entre as mais importantes bandas britânicas dos anos 60. Vamos falar sobre The Tremeloes.

Em 1958, o batera/cantor Dave Munden (nascido David Munden no dia 2 de dezembro de 1943 em Dagenham, Essex, Inglaterra) formou uma banda com o cantor Brian Poole (nascido em 3 de novembro de 1941 em Barking, Essex, Inglaterra) e convidou o guitarrista e cantor Alan Blakley (nascido no dia 1º de abril de 1942 em Dagenham, Essex, Inglaterra) para fazer parte. Com a entrada do baixista Alan Howard (nascido em 17 de outibro de 1941 em Dagenham, Essex, Inglaterra) e do guitarrista líder Graham Scott, eles fizeram alguns shows nos arredores de Dagenham. O nome da banda era The Tremoloes (famoso efeito de amplificador) e um jornal, erroneamente, grafou o nome com “e” deixando-os como Tremeloes. A banda decidiu manter o nome, pois gostaram da sonoridade. Fizeram testes para se apresentar na BBC londrina, mas fizeram mais sucesso tocando nos acampamentos de verão de Butlins.

Em 1961,  Graham Scott não queria mais tocar na banda e eles chamaram um amigo em comum, Rick West (nascido Richard Westwood em 7 de maio de 1943 em Dagenham, Essex, Inglaterra), um talentoso guitarrista que atuava na banda Tony Rivers and The Castaways. Scott concordou em tomar o lugar de Rick em sua banda original e este sentiu-se livre para fechar com os camaradas. No comecinho de 1962, eles conseguiram, graças a um conhecido, um teste na Decca Records londrina. Ao mesmo tempo, uma jovem banda de Liverpool, chamada The Beatles, também participaram de uma audição promovida pelo diretor de A&R da gravadora Mike Smith. Essa parte da história todo mundo conhece de cor e salteado: os Beatles foram rejeitados e os Tremeloes abocanharam um contrato de gravação. Segundo Smith, a banda de Essex tinha mais potencial comercial do que os garotos de Liverpool.

Nesse ano, a banda foi renomeada como Brian Poole & The Tremeloes, o que era uma praxe entre as bandas de Londres na época, ou seja, o nome do vocalista principal figurava como centro da banda. Seu début fonográfico se deu com o single Twist Little Sister (Keith Nylene, Tommy Harbrook), vindo em seguida  Blue (Favilla, Renis, Altman, Mogol). Em 1963, lançaram os singles A Very Good Year For Girls (Fred Tobias, Clint Ballard Jr.) e Keep on Dancing (Brian Poole, Alan Blakley, Mike Smith). Essas primeiras gravações da banda não conseguiram o sucesso almejado.

Foi só em julho de 1963 que eles começaram a entrar em evidência ao lançar um single com o cover de Twist and Shout (Bert Russell, Phil Medley), popularizada primeiramente com os Isley Brothers, que, coincidentemente, figurou no primeiro álbum dos Beatles, lançado em março daquele ano. Contando com  disco ficou em 4º lugar nos charts britânicos. No mesmo ano, eles conseguiram liderar as paradas britânicas com sua sensacional versão do cover de Do You Love Me? (Berry Gordy), original do The Contours. Foi a primeira música deles a figurar nos charts da Austrália, chegando ao 19º posto local. Também lançaram o single I Can Dance (Martin Simpson), que ficou em 31º lugar no Reino Unido (24º na parada australiana).

Em 1964, continuaram alternando altos e baixos nos singles Candy Man (Roy Orbison), 6º lugar no Reino Unido (18º na Austrália); Someone Someone (Norman Petty, Howard Greines), primeiríssimo lugar nos charts britânicos (17º na Austrália) e Twelve Steps to Love (Terrence Lowly), 32º na parada britânica (84º na Austrália). Em 1965, saíram os singles The Three Bells (Jean Villard Gilles, Marc Herrand, Bert Reisfeld), 17º lugar no Reino Unido (29º na Austrália); After a While (Chris Stomsworth) não figurou em nenhum chart; I Want Candy (Bert Berns, Bob Feldman, Gerald Goldstein, Richard Gottehrer), ficou em 25º na parada britanica (81º na Austrália) e Good Lovin’ (Rudy Clark, Arthur Resnick), original dos Rascals, que passou longe do chart britânico e ficou com a 98ª posição na Austrália.

Continua no próximo post

No início, Brian Poole & The Tremeloes crédito: http://static.skynetblogs.be/media/4087/4176339879.jpg

No início, Brian Poole & The Tremeloes
Crédito: http://static.skynetblogs.be/media/4087/4176339879.jpg

Deixe um comentário

Arquivado em Biografias, Música, Mersey Beat Review, Rock and Roll

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s