Rock Brasil Review: Titãs, parte 5

Em 1995, após um ano de férias, os Titãs lançaram o álbum Domingo, que teve uma mudança na estética sonora da banda. Nos dois anos seguintes, a banda só fez shows e tocaram no Acústico MTV,  recheado de participações especiais, que foi um enorme sucesso de vendas na história da banda. Em 1998, gravaram Volume 2, uma especie de continuação do Acústico.  Em 1999, saiu o álbum de tributos As Dez Mais e em 2001,  durante as sessões de gravação do novo álbum, a banda sofre uma trágica baixa: o guitarrista e fundador Marcelo Fromer morreu vítima de um atropelamento. Em luto, a banda finalizou e lançou o álbum  A Melhor Banda de Todos os Tempos da Última Semana.

Em 2001, em meio à gravação do disco, a morte de Marcelo foi um grande baque na banda, que teve que repensar o que fazer após a perda de um dos principais compositores e músicos dos Titãs. Tony Bellotto, a princípio, pensou em tocar as duas guitarras no estúdio. Depois cogitaram que Branco e Miklos se revezassem no instrumento. A decisão final da bnda foi chamar o excelente Emerson Villani (Funk Como Le Gusta), que inclusive já havia substituído Marcelo em outras ocasiões.

No ano seguinte,  os Titãs tiveram outra baixa importante. O compositor e baixista Nando Reis, anunciou sua saída da banda, alegando estar ainda abalado com as mortes do amigo Marcelo Fromer e de sua amiga e protegida Cássia Eller. Porém,  sua saída dos Titãs tem raízes muito profundas resultantes do seu descontentamento com a estética assumida pela banda desde 1993, quando lançaram o álbum Titanomaquia.

Em 2003, reduzidos a um quinteto, os Titãs gravaram o álbum Como Estão Vocês, produzido pela banda junto com o amigo de sempre Liminha. A guitarra e o baixo ficaram a cargo dos músicos Emerson Villani e Lee Marcucci (famoso por ter integrado as bandas  Tutti Frutti e Rádio Taxi), que assumiram o posto durante as turnês dos Titãs. Destacam-se as faixas Enquanto Houver Sol (Britto), Eu Não Sou um Bom Lugar (Bellotto, Mello), Provas de Amor e Vou Duvidar (Britto). Vendeu 100.000 cópias e ganhou outro Disco de Ouro.

Em 2005, saiu MTV ao Vivo (Titãs), produzido por Jack Endino. No disco, vários clássicos titânicos como Flores, Lugar Nenhum e Epitáfio, além das inéditas  O Inferno São Os OutrosAnjo Exterminador e Vossa Excelência (composta em meio à crise política deflagrada pelo famigerado escândalo do mensalão), todas assinadas pelos Titãs. Mostrando que a parceria Titãs/MTV não é fraca, o disco teve 200.000 cópias vendidas.

Em 2008, reencontraram os velhos amigos dos Paralamas e resulveram fazer uma turnês conjunta, relembrando os velhos tempos. Um dos shows, ocorrido na Marina da Glória, Rio de Janeiro, resultou no álbum Paralamas e TitãsJuntos e Ao Vivo. Um dos atrativos do show é a interpretação dos clássicos titânicos e paralâmicos em misturas marcantes como Ska/Sonífera Ilha e Selvagem/Polícia e nas bandas tocando juntas, além de contar com as participações do guitarrista Andreas Kisser (Sepultura), Samuel Rosa (Skank) e o ex-Titã Arnaldo Antunes.

Conclui no próximo post

Titãs em 2005: cicno caras e o Rock and Roll Foto: Marcelo Barabani/AE

Titãs em 2005: cicno caras e o Rock and Roll
Foto: Marcelo Barabani/AE

Deixe um comentário

Arquivado em Sem categoria

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s