World Rock Review: Shocking Blue, finale

O Shocking Vlue foi formado ppelo guitarrista Robbie van Leeuwen em Haia, Holanda em 1967. Forma contratados pela Polydor e gravara seu primeiro álbum, auto intitulado. Em 1968, o vocalista oreiginal Fred De Wilde deixou a banda para servir ao exército e foi subsituído pela exótica Mariska Veres, que atuava no The Bumble Bees. Em 1969, gravaram o álbum At Home e o single Venus, que consagrou a banda na Holanda e em toda a Europa, convertendo-se num verdadeiro clássico da década de 60. em seguidam vieram os álbuns Scorpio’s Dance (1970) e Third Album (1971). O baixista original Klaasje van der Wal se demitiu e foi subsituído por Henk Smitskamp.

Em 1972, gravaram o álbum Inkpot, que teve como destaque as faixas Shadows, The Queen e os covers Tobacco Road (John P. Laudermilk) e Jambalaya (Hank WilliamsBrenda Lee). Nesse mesmo ano,  saiu seu primeiro álbum ao vivo, Live in Japan. Robbie van Leeuwen continuava descontente com a escassez de hits.

Em 1973,  saíram o álbum Attila e os singles Rock in the Sea/ Broken HeartEve and the Apple / When I was a Girl. A situação começou a ficar insustentável no âmbito interno e aí aconteceu o impensável: Robbie, o fundador e principal letrista da banda saiu do Shocking Blue, mas a banda decidiu seguir em frente, contratatndo o guitarrista Martin van Wijk. No ano seguinte, saiu o derradeiro álbum Good Times. Aí foi a vez da vocalista Mariska Veres deixar o barco para começar sua carreira solo. Sem uma liderança, o SB se desmanchou.

Robbie van Leeuwen formou a banda Galaxy-Lin e chegou a produzir um trabalho individual da ex-colega Mariska, que decolou em sua carreira sem o SB, lançando singles de sucesso na Holanda. Em 1979, após um lapso de 7 anos, os integrantes da formação clássica (Robbie, Mariska, Klaasje e Cor van der Beek) voltaram a se reunir para gravar o single inédito Louise, o que seria o primeiro passo para a volta triunfal do Shocking Blue. Só que o tal disco não foi lançado e o projeto foi cancelado.

Em 1984, 10 anos depois do último disco lançado, o Shocking Blue finalmente se reuniu para uma série de shows saudosistas, onde tinham no repertório dois clássicos do Jefferson Airplane, Somebofy to Love e White Rabbit. A criatura pagava tributo à criadora. Depois, voltaram a seus projetos individuais. Em 1993, Mariska trouxe o SB de volta á vida, mas sem nenhum outro membro originalm as com a permissão e as bênçãos do amigo Robbie para usar o nome da banda num disco chamado Body and Soul. Assim, a banda, rebatizada The Shocking Blue Jazz Quintet, participou de inúmeros eventos de revival dos anos 60 e 70, especialmente na Alemanha.

Apos anos de atuação frente ao revitalizado Shocking Blue, infelizmente a charmosa e talentosa Mariska Veres perdeu a batalha para o câncer e faleceu no dia 2 de dezembro de 2006. A voz maravilhosa e característica do SB calou-se definitivamente.

Deixe um comentário

Arquivado em Sem categoria

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s