Grandes Nomes do Rock: Gerry & The Pacemakers, finale

 

A banda Gerry Marsden & The Mars Bars, tendo os irmãos Gerry e Fred Marsden como membros fundadores, foi formada em 1957 e passou por muitas reformulações até se consolidar com a entrada do baixista Les Chadwick e Arthur Mack (depois substituído por Les Maguire) em 1959, mudando o nome para Gerry & The Pacemakers. Foram para Hamburgo e começaram a tocar no Top Ten Club. De volta a Liverpool começaram uma sadia disputa com os Beatles pelo posto de melhor banda da cidade. Em 1961, as duas bandas se fundiram numa única apresentação sob o nome The Beatmakers. Dois anos depois gravaram How Do You Do It, uma música recusada pelos Beatles e conseguiram seu primeiro grande hit nas paradas. Então, no mesmo ano, vieram os singles I Like It e You’ll Never Walk Alone, que também alcançaram a liderança nos charts, um feito que demorou anos para set igualado.

Nesse ano, as bandas de Liverpool, como Gerry & The Pacemakers, Beatles, Billy J. Kramer with The Dakotas, Swinging Blue Jeans e outras conquistaram os jovens da Inglaterra consolidando o destaque musical no país e a cena local, chamada Mersey Beat,começou a chamar atenção.gravaram seu primeiro álbum How Do You Like It, também produzido por George Martin, que contém os três singles que foram nº 1 nas paradas, além dos covers A Shot of Rhythm & Blues (Arthur Alexander), Jambalaya (Hank Williams, Brenda Lee) , Summertime (do musical Porgy & Bess) e Maybellene (Chuck Berry). Foi o único LP da banda lançado na Inglaterra. O disco ficou no 2º lugar nas paradas britânicas e os Pacemakers passaram a desfrutar de grande fama nacional, indo a vários programs de TV da época.

Em 1964, quando os Beatles praticamente consolidaram a Segunda Onda através da Invasão Britânica, Gerry e seus colegas tornaram sensação dos jovens norte americanos. Foi lançado o single I’m the One/You’ve Got What I Like, que ficou em segundo nos charts britânicos e foi o primeiro a alcançar o Hot 100 norte americano, chegando à 82ª colocação. Em seguida ,veio o single Don’t Let the Sun Carch You Crying /Show Me that You Care, que chegou ao 6º lugar no Reino Unido e em quarto nas paradas dos EUA, mostrando que eles esravam com tudo na Terra do Tio Sam. O single How Do You Do It foi relançado nos EUA e ficou em 9º lugar. Então, veio o single It’s Gonna Be Alright/It’s Just Because que ficou em 24º lugar nas paradas britanicas (ficou em 23º do Hot 100 quando foi lançado no ano seguinte nos EUA). O relançamento de I Like It abraçou a 17ª posição no Hot 100. Em dezembro, foi lançado o single Ferry Cross the Mersey/You You You que, embora tenha ficado em 8º nos charts britânicos, tornou-se o hino da cena musical liverpudliana e da cidade.

Em 1965, Gerry & The Pacemakers fizeram seu primeiro filme, Ferry Cross the Mersey, a exemplo dos Beatles, que no ano anterior participaram de A Hard Day’s Night. É um documentário sobre a cena musical de Liverpool, mas os pacemakers não são os protagonistas. A ação é centrada em Frankie Vaughan, Russ Hamilton e Billy Fury, mas Gerry e cia. participam de um momento antológico, tocando a canção-título. Gerry e george Martin ficaram com a parte musical, que foi lançada como trilha sonora, onde Marsden assinou nove músicas. No decorrer do ano, a cena do Mersey Beat começou a perder a força quando os Beatles começaram a fazer álbuns mais elaborados. No ano seguinte, as bandas da Inglaterra tiveram que se adequar à nova realidade musical ou tiveram que encerrar as atividades. Gerry & The Pacemakers preferiram a segunda opção e a banda terminou de forma amigável.

Todos partiram para projetos individuais, não necessariamente do cenário musical. Les Chadwick e Les Maguire começaram um negócio comercial juntos. Mas a música estava na alma do piaista e logo ele voltou à cena, acompanhando artistas locais. De vez em quando, o amigo Gerry o chama para tocar. Fred deixou a música e começou a trabalhar como operador de telefonia e depois abriu uma auto escola. Faleceu no dia 9 de dezembro de 1996. Já Gerry continuou tocando em outras bandas (numa delas junto com ex-baterista dos Beatles, Pete Best), gravou alguns discos e participou de vários musicais e projetos musicais. Em 1974, ele reativou o Gerry & The Pacemakers, porém sem seus velhos colegas dos primórdios. A atual formação conta com Gerry (guitarra, vocais), Stevie Thompson (guitarra líder), Mitch Oldham (bateria), Tony Young (teclados) e Garth Watt-Roy (baixo). Hoje a banda aproveita o circuito de revivals, que está sempre saudoso de ouvir as canções que vêm das margens do Rio Mersey.

Gerry & The Pacemakers atualmente

Fontes:

Wikipedia

http://www.gerryandthepacemakers.co.uk

http://www.triumphpc.com/mersey-beat/a-z/hat-trick.shtml

1 comentário

Arquivado em Biografias, Grandes Nomes do Rock, Música, Rock and Roll, The Beatles

Uma resposta para “Grandes Nomes do Rock: Gerry & The Pacemakers, finale

  1. Pingback: Eureca! Beatles, a chave da casa própria - Lado B Livros

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s